Novo ministro Eugênio Aragão brigou contra e foi vítima dos vazamentos
16 de março de 2016
Janot: não ao messianismo, ao individualismo e à radicalização
23 de março de 2016

Carta aberta ao ministro Eugênio Aragão

Marcelo Auler

Eugênio Aragão, o que faz os delegados federais terem medo dele no ministério da Justiça? (Foto - reprodução)

Eugênio Aragão, o que faz os delegados federais terem medo dele no ministério da Justiça? (Foto – reprodução)

Prezado Ministro. Lá se vão 25 anos do nosso primeiro encontro, em Rio Maria, no sul do Pará, quando do “Dia Municipal contra a Violência e a Impunidade”, em 12 de março de 1991, um mês depois da morte do líder sindical Expedito Ribeiro da Silva. Eu, a serviço do extinto Jornal do Brasil.

Você – e me permito este tratamento por sermos da mesma geração, sem lhe faltar o devido respeito – junto com o seu então colega José Roberto Santoro, acompanhavam o Procurador Federal da Defesa dos Direitos do Cidadão, Álvaro Augusto Ribeiro da Costa, ao mesmo tempo que, designados pelo então procurador-geral da República, Aristides Junqueira, elaboravam um dossiê sobre a violência em toda região. Na época, a contabilidade era macabra: em 11 anos, 17 líderes trabalhistas assassinados e muitos dos acusados por esses crimes, livres, ameaçavam a todos. Estava lá também Luiz Inácio Lula da Silva.

Em 1991,o jovem procurador Eugênio Aragão, em missão no sul do Pará, onde a violência reinava e a impunidade também (Foto: arquivo pessoal)

Em 1991,o jovem procurador Eugênio Aragão, em missão no sul do Pará, onde a violência reinava e a impunidade também (Foto: arquivo pessoal)

Pouco depois, já na Veja, a partir de outra investigação sua com o Santoro, fui, com o fotógrafo Paulo Jares, ao “Garimpo do Sangue”, em Matupá (PA). Mas esta é outra história.

Neste quarto de século, muita coisa aconteceu. Nos distanciamos, você de jovem procurador na época, chegou a subprocurador da República e eu continuei na missão de reportar. Mas, cada um na sua trincheira, lutamos pelos mesmos objetivos: o fim da impunidade, o restabelecimento, a partir da Constituição de 1988, do tão desejado Estado Democrático de Direito onde predominam as leis e, em consequência, a civilidade.

Fomos nos reencontrar de maneira rápida, na quinta-feira passada (17/03) quando testemunhei o início desse seu novo desafio, ao ser empossado como ministro da Justiça. De tão concorrida a cerimônia, mal nos cumprimentamos.

Sem dúvida, sua nova função é espinhosa. Não a invejo. Mal chegou e já recebe críticas por falar o óbvio, isto é, que a lei existe para ser cumprida, principalmente por quem recebe do Estado para fazer cumpri-la. Nada de tão misterioso, mas na cabeça de alguns isto soa como ameaça. Por quê?

A preocupação dos delegados expressa em suas páginas no Face book

A preocupação dos delegados expressa em suas páginas no Face book

Aparentemente, sua fala, que muitos viram como autoritária, de tão evidente, merece o aplauso de todos. Afinal, cobrar o cumprimento das leis, é garantir a todos os cidadãos que a Polícia, que existe para lhes dar segurança e, em consequência, ao Estado, não cometerá arbitrariedade com ninguém, o que não significa ser conivente com crimes e criminosos.

Seu alerta também mostra aos agentes, no caso os operadores da Lava Jato, que agindo no estrito cumprimento legal jamais serão acusados de ilegalidades tais como colocar grampos sem autorização, forçar delações premiadas, tomar partido em investigações, optar por investigar A e esquecer B, faltar com a verdade, esconder fatos desabonadores, e tantas outras coisas que dificilmente o povo que aplaude quem combate a corrupção acreditaria que eles fossem capazes de fazer. E mais, jamais os apoiariam. O que o povo quer, é preciso acreditar, é o cumprimento de todas as leis, em todos os momentos da apuração da execrável corrupção. Ou haverá quem repudie o Estado Democrático de Direito? Não acredito.

No Face, acusam o ministro de chegar para remover agentes da Operação Lava Jato.

No Face, acusam o ministro de chegar para remover agentes da Operação Lava Jato.

Protestos sem fundamento – Ao ler que delegados federais, através da Associação dos Delegados de Polícia Federal (ADPF) sentiram-se ameaçados com sua chegada ao Ministério a ponto de reverberarem esse medo por suas páginas no Face book (veja ao lado) e pela imprensa, “denunciando” que a Operação Lava Jato passou a correr risco, suspeito que eles já gozavam da autonomia pela qual dizem estar brigando através da PEC 412. Ou será que antes eles não entendiam dever explicações ao seu chefe imediato, isto é, o ministro da Justiça?

É obvio que, como bacharéis em Direito, todos eles sabem que as funções de um ministro são mais administrativas e bastante limitadas em termos jurisdicionais. Não há como ele interferir nas investigações.

Pode, sim, transferir agentes e delegados, mas isso não significa abafar a investigação pois, não só existem agentes, delegados, escrivães e peritos tão habilitados quanto os do Paraná dentro da Polícia Federal, como por detrás da Operação há um Ministério Público atuante, um juiz dedicado ao extremo neste caso – a ponto, dizem, de se sentir infalível – e todos os tribunais superiores que não permitirão isso. Nem tampouco lhes são dadas condições políticas para abafar algo desta natureza. Hoje, qualquer atitude nesse sentido será como acender um palito de fósforo no barril de pólvora que outros montaram e que, como citou Luiz Fernando Veríssimo em sua coluna de domingo passado – “O primeiro morto” -, está prestes a fazer um primeiro cadáver.

O real motivo do medo – Na verdade, prezado Aragão, há mais motivos de medo do que sua simples fala de que não permitirá ilegalidades.

No fundo, suspeita-se, eles temem que você, no ministério, resolva pedir ao diretor geral do DPF, Leandro Daiello, explicações sobre alguns fatos ocorridos nestes últimos 24 meses e jamais esclarecidos.

Em 12 de novembro o corregedor do DPF anunciou que a finalização da sindicância seria remetida ao juízo até o final daquele mês...

Em 12 de novembro o corregedor do DPF anunciou que a finalização da sindicância seria remetida ao juízo até o final daquele mês…

No último dia 17, por exemplo, muito se falou sobre os dois anos da Lava Jato, mas a grande imprensa toda se calou sobre um outro fato paralelo ocorrido na mesma data: a instalação de um grampo ilegal na cela de Alberto Youssef. Não preciso me estender mais sobre o assunto, pois aqui no blog já há postagens suficientes explicando em detalhes tudo o que aconteceu. Cito apenas uma, publicada no início de novembro, a partir de um ofício assinado pelo corregedor do DPF, delegado Roberto Mario da Silva Cardoso: Grampo da Lava Jato: aproxima-se a hora da verdade.

Nesta postagem, consta o ofício que volto a reproduzir ao lado. Nele, o corregedor prometeu, em 12 de novembro de 2015, ao juiz Sérgio Moro, que até o final de novembro lhe remeteria o resultado da nova sindicância que investigava o grampo achado pelo doleiro, em abril de 2014, em sua cela. Nova porque a primeira, ao que tudo indica, teve uma falsa conclusão – de que o grampo estava ali há mais tempo e inativo.

Conviveremos com ilegalidades confirmadas? – Porém, ministro, já se passaram quatro meses da promessa do corregedor e o resultado da sindicância continua misterioso. Nem seus colegas do Ministério Público Federal os quais, por dever da lei, deveriam fiscalizar a atividade da Polícia, nem o juiz Moro se preocupa em cobrá-la. É um mistério.

Youssef e o grampo encontrado: o "resgate" em duas versões conflitantes

Youssef e o grampo encontrado: o “resgate” em duas versões conflitantes

Mas há uma possível explicação. Trata-se, na verdade, de uma suposição que não apenas eu, mas muitas das minhas fontes do Paraná e da Polícia Federal dividem comigo: o responsável por tudo isso deve ser – e é nova suspeita – o delegado Alfredo Junqueira, da Coordenadoria de Assuntos Internos da Corregedoria do DPF, por ser justamente um policial sério, íntegro  e dedicado. Ele teria concluído que o grampo existiu, conseguiu recuperar áudios captados na cela. Tudo, como já se sabe, sem autorização judicial. como narramos em  Surgem os áudios da cela do Youssef: são mais de 100 horas.

A divulgação desta sindicância, ministro, torna-se assim, uma ameaça muito mais palpável à Operação Lava Jato do que a promessa de punir quem vazar informação. Caso ela seja revelada – e, talvez, não a tenha sido justamente por isso – será preciso punir quem mandou instalar um grampo ilegal. Ou a Polícia Federal, o MPF do Paraná e o juiz Moro irão conviver com uma ilegalidade confirmada?

Rosalvo Franco (esq.). Igor de Paulo (centro) e Marcio Adriano (dir.), três peças importantes da Operação Lava Jato denunciados por envolvimento com o grampo ilegal na cela de Youssef. Como conviver com a ilegalidade?

Rosalvo Franco (esq.). Igor de Paulo (centro) e Marcio Adriano (dir.), três peças importantes da Operação Lava Jato denunciados por envolvimento com o grampo ilegal na cela de Youssef. Como conviver com a ilegalidade?

A punição, acontecendo, atingirá três peças importantes em toda a estrutura da Superintendência Regional do DPF no Paraná (SR/DPF/PR), a começar pelo superintendente, delegado Rosalvo Ferreira Franco. Ele, segundo o testemunho do agente que confessou ter colocado o grampo, Dalmey Werlang, estava presente quando o delegado Igor Romário de Paulo, Delegado Regional de Combate ao Crime Organizado (DRCOR) lhe deu a ordem  de instalação, na manhã do dia 17 de março de 2014, data em que Youssef foi preso e levado para aquela cela. O terceiro a ser atingido será o delegado Márcio Adriano Anselmo, que é ninguém menos que o chefe das investigações da Lava Jato. Ele esteva presente  quando a ordem foi dada e, junto com a delegada Daniele Gossenheimer Rodrigues, recebia as gravações transcritas em pen-drive.

Isto, ministro, sem falar no delegado Maurício Moscardi Grilo que foi o responsável pela primeira sindicância realizada, na qual constatou que o grampo era antigo, estava ali com ordem do juiz Odilon Oliveira, do Mato Grosso do Sul, e desativado. Além das conclusões possivelmente inverídicas, ele desrespeitou uma ordem do superintendente – que mandou periciar o aparelho, o que não foi feito – e, junto com os procuradores, a ordem do juiz Moro, que determinou o acompanhamento do MPF na sindicância. Nada disso aconteceu. Como ficaria a situação dele diante da conclusão diversa na nova sindicância daquela quem ele assinou?

Delegado Maurício Moscardi: nova sindicância encontra áudios que ele disse não existirem - Foto: Altino Machado

Delegado Maurício Moscardi: nova sindicância encontra áudios que ele disse não existirem – Foto: Altino Machado

Tem mais, porém, ministro. Como noticiamos no blog, em 25 de outubro, na reportagem “Lava Jato: um fato e duas versões na PF-PR. Mentira?, em juízo os delegados Igor de Paulo e Márcio Adriano deram uma versão para o resgate do aparelho de escuta em poder do doleiro Alberto Youssef na cela. A mesma versão – um encontro fortuito durante uma vistoria normal em que se procurava celulares – foi endossada por Moscardi na sindicância 04/2015.

Ela difere do que foi narrado na CPI da Petrobras pelo delegado Rivaldo Venâncio (ex-chefe da Delegacia de Repressão a Entorpecentes e ex-substituto de Igor na chefia da DRCOR da SR/DPF-PR). Todos estavam sob o compromisso de dizer a verdade. Alguém mentiu e, testemunha mentir em juízo ou na CPI, é crime.

A favor de Rivaldo, há o depoimento do delegado de Polícia Civil do Paraná, Rockembach. Ele foi ouvido na sindicância presidida pelo DPF Junqueira. Foi ele quem soube da existência do aparelho nas mãos do doleiro. Ao ser informado disso pelo perito contratado pela defesa de Youssef, ligou para o superintendente do DPF que mandou Rivaldo ao seu encontro. De posse da informação, o então chefe da DRE comunicou a Rosalvo e Igor que determinaram uma busca na cela para o resgate do aparelho de escuta. Logo, não foi encontro fortuito, mas uma varredura com objetivo determinado. Como lidar com quem mentiu em juízo, ou em uma sindicância, caso a história real venha à público?

Agente Dalmey Werlang (à esquerda) e DPF Mario Renato Fanton,denunciados por calúnia após revelarem o grampo ilegal.

Agente Dalmey Werlang (à esquerda) e DPF Mario Renato Fanton, denunciados por calúnia após revelarem o grampo ilegal.

O medo dos delegados do Paraná e, de resto, dos seus colegas pelo chamado “spiritus corpus”, porém, ministro, vai além. Há ainda o caso do grampo encontrado no fumódromo da SR/DPF/PR. Este, segundo já admitiu o delegado Junqueira em ofício à CPI da Petrobras, também não tinha autorização judicial. Na versão do APF Dalmey, em depoimento tomado pelo delegado Mario Renato Fanton, – o qual, publicamos em “Lava Jaro revolve lamaçal na PR-PF” – ele foi instalado por ordem da delegada Daniele, que era a sua chefe no Núcleo de Inteligência Policial (NIP). A ordem dela foi respaldada, à época, pelo delegado José Washington Luiz Santos, Diretor Executivo, que substituía Rosalvo nas férias deste. Igor e Daniele são casados. Ou seja, são mais dois delegados que, teoricamente, cometeram irregularidades na Superintendência. Ao pé da lei ,são fortes candidatos a responder, no mínimo, a Processos Administrativos.

Esses são apenas dois episódios ao longo dos últimos dois anos na Polícia Federal do Paraná e que, por si só, já envolvem seis delegados ligados à Lava Jato com possíveis irregularidades cometidas. Os casos, porém, se multiplicam: o uso de celular na cela pelo doleiro Youssef; a tentativa de obter dados telefônicos de pessoas com foro especial sem mandado específico para isso; a venda de favores na custódia; a inusitada situação da doleira Nelma Kodama; delações premiadas feitas à revelia dos advogados de defesa constituídos; o processo por calúnia que seu colega do MPF tenta abrir, a pedido dos delegados, contra o DPF Fanton e o APF Dalmey; os inquéritos instaurados (três) contra o mesmo DPF Fanton, que permaneceu em Curitiba poucos meses, e que só foram abertos depois dele sair de lá, aparentemente como retaliação; o inquérito arquivado  contra o presidente do Sindicato dos Policiais Federais, Fernando Augusto Vicentine, que foi à carceragem buscar informações para a revista Veja; as ameaças para que os presos fizessem delações premiadas; sem falar nos vazamentos seletivos que ocorreram, alguns deles praticados pela delegada Érika Mialik Marena, chefe da Delegacia de Repressão a Crimes Financeiros, que recebia a reportagem da Folha em sua sala, como chegaram a filmar.

Enfim, prezado Aragão, como disse acima, não lhe invejo pelo cargo. O pepino é grande. Mas o imagino com condições, capacidade, coragem e firmeza, sem fugir à legalidade e à ética, para enfrentá-los. Certamente, quando o fizer, não receberá aplausos de parte da corporação e, talvez, nesse momento, nem mesmo da maioria enraivecida da população que não conhece detalhes como estes, pois a grande imprensa não os veicula.

Sinceramente, não sei se seu antecessor tomou conhecimento de tudo isso, embora muita coisa já tenha circulado por aqui pelo blog. Mas acho que não o tive como leitor. Espero lhe conquistar. Na expectativa de você me ler, aqui vai um último alerta principalmente para o carioca que adotou Brasília há muito anos: cuidado com as versões da capital.

Preferencialmente, sem desmerecer as informações oficiais que lhe passam, procure as fontes na origem, ou chame-as ai. A diversificação de versões, certamente, lhe ajudará a chegar mais próximo da verdade. E a verdade está muito distante do que mostram os canais de TV e as páginas da chamada grande imprensa. Boa sorte.

 

Leia ainda as outras matérias sobre a Operação Lava Jato e Polícia Federal já postadas no blog:

Lava Jato revolve lamaçal na PF-PR”.

O grampo da discórdia na Lava Jato

Calúnia na PF-PR: juiz rejeita denúncia e critica MPF

Surgem os áudios da cela do Youssef: são mais de 100 horas

Lava Jato: o polêmico organograma

Satiagraha & Lava Jato: dois pesos, duas medidas

Lava jato: um fato, duas versões da PF-PR. Mentira?

Lava Jato: surgem mais grampos na PF-PR. “Grampolândia”?

Grampo da Lava Jato: aproxima-se a hora da verdade

Lava Jato chega ao TRF-2: e agora?

Lava Jato: DPF delega investigação do vazamento

Lava Jato: Adivinhem quem estava na cela com Cerveró?

Lava Jato: surge nova denúncia de irregularidade

O mistério do ministro Cardozo em Curitiba

Operação Sangue Negro atinge governo de FHC

Lava Jato no Rio esbarra na falta de tecnologia

Investigações da Lava Jato: dois pesos e duas medidas

Briga por verba reflete a briga contra Dilma na PF

Briga da PF com Dilma: correção necessária e desconfiança descabida

Trapalhadas da PF-PR com a verba doada pelo juiz Moro

Polícia Federal ontem e hoje: de FHC à Dilma Rousseff

Lava Jato: Moro reacendeu as suspeitas do grampo ilegal na PF
Compartilho: Lava Jato e a bosta seca
O freio suíço na “marcha para frente” de Moro
Delegados da PF sobre o japonês: “vexatório, tragédia, patético”
Newton Ishii, o “japonês da federal”, 13 anos de impunidade
Chico Alencar a Cardozo: “quem pagou mordomias da PF-PR?”
Moro fez com Lula o que a ditadura não fez com JK
Instituto Lula: quem cobrará a responsabilidade?
Impertinências dos “petralhas” à Lava Jato e ao juiz Moro
Na ânsia de denunciar Lula, MP paulista atropela a lei
A critica ao Ministério Público por dois ícones do MPF: Claudio Fonteles e Alvaro Costa
STJ mantém condenação e aposentadoria do “japonês da federal”
Explicações para grampo de Lula e Dilma são sofismas

39 Comentários

  1. […] mesmas: Novo ministro Eugênio Aragão brigou contra e foi vítima dos vazamentos (16/03/2016) e Carta aberta ao ministro Eugênio Aragão […]

  2. […] de Meire e ao já conhecido caso do grampo da cela de Youssef juntam-se outras suspeitas que, na Carta aberta ao ministro Eugênio Aragão por nós publicada em 22 de março, relacionamos ao falarmos do recado que o ministro mandou, […]

  3. […] de Meire e ao já conhecido caso do grampo da cela de Youssef juntam-se outras suspeitas que, na Carta aberta ao ministro Eugênio Aragão por nós publicada em 22 de março, relacionamos ao falarmos do recado que o ministro mandou, […]

  4. VIDA de GADO disse:

    Meu Deus quanta baixaria…

  5. Piupiu Gomes disse:

    Latrina,

    Conte-nos sobre aquele caso da delegacia de Cascavel, onde uma delegada esposa do cabeca de melancia, metia-lhe chifre com outro delegado de la e a esposa deste descobriu e foi la e sentou a porrada na esposa do cabeca de melancia na frente de todo mundo, dentro da reparticao publica. E hoje ele se acha o cana fodao, cerebro de guampas.

  6. C.Paoliello disse:

    Se o novo Ministro da Justiça enquadrar a meganhada da pf (ou milícia tucana) nos limites da lei, como todos teem obrigação de fazer, ele já terá prestado um grande serviço ao país. Os cidadãos de bem não podem ficar à mercê de agentes públicos que cometem ilegalidades diuturnamente e não são punidos por isso. Hoje há uma insegurança na população em geral pois qualquer cidadão pode ter sua casa invadida às 6 horas da manhã, ser sequestrado por “policiais”, que depois montarão um processo e forjarão “provas” para que vc vire um criminoso diante da sua comunidade. Foi assim que começou o 3º Reich na Alemanha, há 70 anos atrás, com as ações criminosas das milícias de Hitler (SA, Gestapo, SS e outras organizações criminosas travestidas de policiais). Não podemos permitir que isto aconteça no Brasil.

  7. Marcos Roberto M. disse:

    Que porra é essa que a lei não vale pra esses caras ?

  8. Lord Ingles disse:

    Vcs não entendem nada, os delegados da PF, aqueles que se auto proclamam de Vossas Santidades em Memorandos internos , kkkkkkk, ( ou quase isso…não me lembro) querem ser subordinados diretamente ……a Rainha da Inglaterra (!) e receberema honraria do título de Sir Lord Delegadus Chifrudus. Aí , como diria o mestre Romario, a corte ficaria toda feliz, O Rei, o príncipe e os
    Bobos.

    • Sabe de tudo disse:

      Lord Ingles, por acaso sir lord delegadus chifrudus é aquele conhecido delegado pica mole que trabalhou em Foz?

      • Boquinha de latrina reloaded disse:

        Kkkkkkkkkk, desde q entrei na pf, sempre ouço falar na mafia do cú.
        Agora é a mafia do cu com a mafia dos cornos.

        • Sabe de tudo disse:

          Boa noite latrina!! Bom ver vc de novo por aqui…quanta máfia nessa PF…é máfia disso, mafia daquilo….da até medo!!! Quem é o chefe dos chifrudos? E a máfia do anel, quem é o chefe? Fala latrinaaaaa

  9. Oraculo disse:

    Tendo a CERTEZA que o novo MJ vai ler seu árduo trabalho desses últimos meses, e ainda, se interar dos assuntos que até agora não vieram ao caso, tomo a liberdade de informar por aqui mais alguns links sobre o assunto, como por exemplo a capacidade de premonicao monumental dos referidos funcionários PÚBLICOS e suas condenações antecipadas por vazamentos, em novembro de 2014, veja so, já apontaram la, os culpados.

    http://m.politica.estadao.com.br/noticias/geral,delegados-da-lava-jato-exaltam-aecio-e-atacam-pt-na-rede,1591953

    http://www.blogdacidadania.com.br/2014/11/inquerito-da-pf-sobre-vazamento-ilegal-para-veja-ja-tem-suspeitos/

    Vossa Excelência tambem está lidando com uma grande coinscidencia. Delegados que já fizeram Operações contra PT e quem tem a mesma metodologia espuria de condenar pessoas atraves de vazamentos seletivos e como visto acima não escondem suas preferências partidárias, todos se encontraram, olha que legal, fortuitamente, na PF de Curitiba na Operação Lava Jato !!! Esses abaixo, por exemplo, vieram de outros Estados da Federação com um histórico para alguns que os credenciavam ao serviço :

    http://www.ac24horas.com/2016/03/04/delegado-mauricio-moscardi-que-coordenou-no-acre-a-operacao-g7-interroga-lula/

    http://www.sul21.com.br/jornal/procurador-que-investiga-suspeita-de-fraude-no-pronaf-afirma-que-vazamento-acabou-com-a-operacao/

    Então, Ministro, minha sugestão : Vá pessoalmente, não mande ninguém não ! Até a CORREGEDORIA GERAL DA POLÍCIA FEDERAL, veja la o farto material colhidos direta e indiretamente dentro de processos fraudados, não como estão lhe criticando, sobre VAZAMENTOS que cheiram mal, MAS SIM PROVAS DE CRIMES, FRAUDES PROCESSUAIS, COACOES NO CURSO DE PROCESSOS, ESCUTAS ILEGAIS, INTERCEPTACAO TELEFONICA ILEGAL, VAZAMENTOS CRIMINOSOS E SELETIVOS DE PROCESSOS EM SEGREDO DE JUSTICA, CORRUPCAO NA CUSTODIA, USO DE VERBA SECRETA PARA FINS DIVERSOS NA LEI, PROCESSOS DISCIPLINARES NA PF DO PARANÁ TRANCADOS POR SERVIDORES LOCAIS NA JUSTIÇA POR ABUSOS DE AUTORIDADE E RETALIAÇÕES A SERVIDORES QUE NÃO COMPACTUAM COM ESSE MODUS OPERANDI, etc, etc, etc, SO ISSO. Tudo operado pelo mesmo grupo de servidores daquele Estado que se acham acima da lei e usam a imprensa pra coagir autoridades que fracas até agora, preferem virar refens do que infrentar o desrespeito.

    Repito: Se for la, Não iram mais lhe acusar sem fundamento de retaliação por VAZAMENTOS…PORQUE O QUE TEM LA SÃO CRIMES.

    Afinal, quadrilha de corruptos, quadrilha de traficantes ou quadrilha de funcionários publicos, para a LEI, é tudo QUADRILHA, é deve ser tratada como tal.

    Obs : Isso tudo NÃO TEM NADA A VER COM A GUERRA POLÍTICA QUE CRIARAM no país, se escoram nisso, porém repito, é só a LEI. Independente do quadro.

  10. Oraculo disse:

    Senhor Jornalista, tendo a CERTEZA que o novo MJ vai ler seu árduo trabalho desses últimos meses, e ainda, se interar dos assuntos que até agora não vieram ao caso, tomo a liberdade de informar por aqui mais alguns links sobre o assunto, como por exemplo a capacidade de premonicao monumental dos referidos funcionários PÚBLICOS e suas condenações antecipadas por vazamentos, em novembro de 2014, veja so, já apontaram la, os culpados.

    http://m.politica.estadao.com.br/noticias/geral,delegados-da-lava-jato-exaltam-aecio-e-atacam-pt-na-rede,1591953

    http://www.blogdacidadania.com.br/2014/11/inquerito-da-pf-sobre-vazamento-ilegal-para-veja-ja-tem-suspeitos/

    Vossa Excelência tambem está lidando com uma grande coinscidencia. Delegados que já fizeram Operações contra PT e quem tem a mesma metodologia espuria de condenar pessoas atraves de vazamentos seletivos e como visto acima não escondem suas preferências partidárias, todos se encontraram, olha que legal, fortuitamente, na PF de Curitiba na Operação Lava Jato !!! Esses abaixo, por exemplo, vieram de outros Estados da Federação com um histórico para alguns que os credenciavam ao serviço :

    http://www.ac24horas.com/2016/03/04/delegado-mauricio-moscardi-que-coordenou-no-acre-a-operacao-g7-interroga-lula/

    http://www.sul21.com.br/jornal/procurador-que-investiga-suspeita-de-fraude-no-pronaf-afirma-que-vazamento-acabou-com-a-operacao/

    Tudo isso aconteceu na CARA do Ministro anterior… o Republicano. Esse servia. O senhor, pelo jeito, que vai cumprir a LEI, não serve.

    Então, Ministro, minha sugestão : Vá pessoalmente, não mande ninguém não ! Até a CORREGEDORIA GERAL DA POLÍCIA FEDERAL, veja la o farto material colhidos direta e indiretamente dentro de processos fraudados, não como estão lhe criticando, sobre VAZAMENTOS que cheiram mal, MAS SIM PROVAS DE CRIMES, FRAUDES PROCESSUAIS, COACOES NO CURSO DE PROCESSOS, ESCUTAS ILEGAIS, INTERCEPTACAO TELEFONICA ILEGAL, VAZAMENTOS CRIMINOSOS E SELETIVOS DE PROCESSOS EM SEGREDO DE JUSTICA, CORRUPCAO NA CUSTODIA, USO DE VERBA SECRETA PARA FINS DIVERSOS NA LEI, PROCESSOS DISCIPLINARES NA PF DO PARANÁ TRANCADOS POR SERVIDORES LOCAIS NA JUSTIÇA POR ABUSOS DE AUTORIDADE E RETALIAÇÕES A SERVIDORES QUE NÃO COMPACTUAM COM ESSE MODUS OPERANDI, etc, etc, etc, SO ISSO. Tudo operado pelo mesmo grupo de servidores daquele Estado que se acham acima da lei e usam a imprensa pra coagir autoridades que fracas até agora, preferem virar refens do que infrentar o desrespeito.

    Repito: Se for la, Não iram mais lhe acusar sem fundamento de retaliação por VAZAMENTOS…PORQUE O QUE TEM LA SÃO CRIMES.

    Afinal, quadrilha de corruptos, quadrilha de traficantes ou quadrilha de funcionários publicos, para a LEI, é tudo QUADRILHA, é deve ser tratada como tal.

    Obs : Isso tudo NÃO TEM NADA A VER COM A GUERRA POLÍTICA QUE CRIARAM no país, se escoram nisso, porém repito, é só a LEI. Independente do quadro.

  11. evaristo macedo disse:

    Sugiro que o sr Sr. Ministro faça mais algumas perguntas: por qual motivo a Doleira Nelma Kodama, encontra-se há mais de um ano cumprindo pena na SR. Paraná? quem autorizou sua permanência na custodia por tanto tempo? ela já estava cumprindo pena no presidio estadual ?? por qual motivo retornou a carceragem da sr. Paraná? Porque é a única presa condenada no brasil que cumpre sua pena no setor de carceragem de uma Superintendência da pf??? O setor de carceragem da Sr Paraná é um local destinado a presos provisórios ou também dispõe de local para presos já condenados?

  12. Apf Gise disse:

    Dirceu Bertin e Rony Silva????
    Quem sao esses dois subversivos instigando a anarquia na PF e no Governo Federal.
    Se sao da PF, Lei 4878/65 e crime nesses dois.
    So Epa que responde PAD quando se manifesta contra a PF? Quantos ja foram punidos por se manifestarem no site da fenapef?
    Enquanto isso querem a cabeca do Werneck.
    Essa coger esta tendo participacao ativa na anarquia do Pais e essa conta vai aparecer daqui a pouco.

    • Apf pr 2001 disse:

      Perdi muitos amigos na pf, grande parte deles desferiram tiros contra as proprias cabeças, por não suportar mais viver num ambiente doentio desses, onde criminosos se arvoram da condição de paladinos da justiça.
      Isso acaba com o psicológico de qq um!

  13. Brioco largo disse:

    SRMinistro da Justiça!! Chame o diretor geral da PF e corregedor da PF em seu gabinete e faça as seguintes perguntas p eles: por qual motivo não foi finalizadas as sindicâncias da escuta do Youssef e fumodromo? Vcs estão retardando essas sindicâncias p não prejudicar os colegas de curitiba? Estão prevaricando? Por q tais sindicâncias estão sob sigilo? O interesse público não requer q sejam públicas, como o Moro sempre o faz? Por q não foi instaurado inquérito p apurar tais fatos e só deixou a apuração mediante sindicância? Só isso…acaba a rebdia na PF, tira o governo da defensiva e apura as irregularidades indefensáveis!!?

  14. Deputado Federal ex apf disse:

    A falta de comando do PF possibilita situações inusitadas e engraçadas , não fossem trágicas . Um delegado como o sr Evaristo kuceki, reconhecidamente um inútil e imprestável na instituição , que nunca fez qualquer operação importante ou efetuou sequer a prisão de um traficante “pé de chinelo”, sente-se encorajado a ameaçar um ministro de estado ! A que ponto chegamos..!!!

    • José Praxedes disse:

      És este Evaristo também daquela mesma lojinha maçônica xexelenta da av. Das torres? Aquela atrás da fiat/loja de pneu, onde só entra puliça?

      Kklkkkkkkk

    • Sebastião Triperna disse:

      Evaristo, vulgo Evaristo Cú-seco, Porquinho da Índia, carregador de mala do velho Jabuca, esse toda a tiragem do paraná conhece…., no seu tempo como chefe do NIP, adorava grampear ilegalmente as salas dos colegas, da mesma forma que a dona Daniele faz hoje, tinha uma verdadeira paranóia pelo controle da informação, se achava o James Bond do Paraná, bem próximo do que o vaidoso delegado Igor é hoje.
      A única coisa que o Evaristo não gostava de fazer, era de trabalhar.
      Sorte do Artur (consórcio garibaldi, muamba em foz e outras), sorte da máfia do cigarro que havia na delegacia de Guaíra, sorte do delegado Hadano (preso depois em Santos), sorte da montueira de PF que era FANTASMA NA ASSEMBLÉIA, A MANDO DO ALEXANDRE CURI (ISSO MESMO MINHA GENTE, A PF AQUI NO PARANÁ É UM BANDO DE BATE PAU DO MAFIOSO ALEXANDRE CURI, NETO E HERDEIRO POLÍTICO DO INSÍGNE ANIBAL CURI, PESQUISEM), enfim, sorte de tantos outros vagabundos, que não foram investigados, e nem serão, porque esse covarde incompetente desse Evaristo era o chefe do NIP……

      Triste é ver uma figura sebosa como esta, se arvorando na condiçã de paladino da justiça, e ameaçando um ministro que mal ocupou o cargo, e que disse o óbvio, que vai fazer cumprir a lei!

      Força Aragão, força Teori, se mantenham DO LADO DA LEI!!!

  15. Marcos Souza disse:

    “Neste quarto de século, muita coisa aconteceu. Nos distanciamos, você de jovem procurador na época, chegou a subprocurador da República e eu estou na merda, fazendo frilas e babando o saco de petistas pra ver se arranjo um boquinha!” kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  16. Advogada disse:

    Prezado Auler e Exmo MJ, caso venha a ler.

    Nao é preciso mover uma palha para escurracar Igor, Marcio Anselmo, Erika, Daniele, Rosalvo, Washington, Moscardi e Flores da Forca Tarefa e da PF.
    Basta soltar o resultado da sindicancia do fumodromo prometida para julho passado e a sindicancia do Youssef prometida para novembro passado.
    Depois solta o resultado dos inqueritos 747/15, 768/14, inquérito do bolacha vendendo vaga na carceragem de Curitiba, inquerito do bolacha e benites permitindo uso de celular na cela por Youssef e inquerito do vazamento da delacao de Cervero ao Delcidio. Coloca um membro do MP para cortar qq arredondamento, ad cautelam.
    E por favor, coloque um procurador para revisar os trabalhos da Tania Fogaca e Alfredo, por favor… Pq como visto sao membros da adpf e essa adpf defende qq coisa para defender os meninos, tanto que desde julho a forca tarefa poderia ter sido substituida por outros delegados competentes e ate agora nao foi, pois prometem guerra se alguem o fizer.
    Vcs irao assistir de camarote eles se afundarem sozinho e quem seja honesto aplaudira o ministro de pe.
    Outra questao que vai surgir, é o porque do DG, Coger e sua trump deixaram que os autores de tais erros continuassem no poder ate o ponto de derrubar a Republica. O Moro é Ministro da Justica por acaso?
    Um aviso, qq amigo ou indicado do DG deve ser demitido da funcao ad nutum para o bem da Republica e da PF.

    • Juarez Souza disse:

      Cara advogada, os delegados Alfredo e Tânia são boas pessoas, mas isso não basta.
      Não conhecedores da realidade estarrecedora de ilegalidades e crimes que acompanham a atual administração da pf no Paraná desde a posse do lamentável Rosalvo, eles ficam “num mato sem cachorro”. Explico. De um lado, a lei. De outro, o barulho da turba insana, que alavancada pela mídia, leva a lava jato e os seus agentes aos céus…
      Correm o sério risco de responderem pelos mesmos crimes que os delegados da lava jato… Pena.
      A lei é a lei, a verdade, bem, a verdade tem timing político, tem perna curta, mas ela chega lá.

      • Advogada disse:

        Prezado Juatez Souza,

        É notoria a simpatia da Delegada Tania Fogaca pela Associacao dos Delegados de Policia Federal, que defende os delegados da lava jato mais do que a propria mae. Parece que ja ate ajudou na administracao da entidade. É prioridade numero um deles, tanto é que quando surgiu o embrolio do Parana, a delegada Erika logo tratou de se tornar representante regional de tal associacao naquele Estado. A bandeira é vamos defender a Lava Jato a qualquer pretexto misturando seus delegados podres por tras dela com a nobresa da operacao em si. Alias dra Erika, vida longa a sra que escapou bem do acidente de carro hoje, de coracao.
        A Lava Jato deve continuar pra sempre e parabens à competencia e coragem do Juiz Moro. Mas esses delegados que atuam nela juntos e misturados sao substituiveis por outros 3000 que existem no orgao e devem pagar pelos crimes que cometeram. Escuta ali, escuta aqui, pressaozinha naquele ali e no outro acola, uma provinha da labogem ali, uma denunciacao caluniosa contra outros la, um celularzinho grampeado para o doleiro usar na cela, um favorzinho para Nelma Kodama ficar na carceragem cumprindo pena condenatoria, e por ai vai né galerinha do bem!
        A Lava Jato nao vai parar como nao parou quando surgiu uma frente em Brasilia, que anda muito bem obrigado.
        Portanto, sra Erika, Marcio, Igor, Daniele, Moscardi, Rosalvo, Flores, Washington, etc (se esqueci de alguem) a Lava Jato vai continuar sem voces misturadinhos e nao vai ter revista veja, epoca, estadao, adpf, cut, sindicato dos pescadores, cooperativa de camelos, massonaria, o raio que o parta, que vao esconder seus ilicitos.
        E para dra Tania Fogaca e Alfredo Junqueira voces trabalham no setor que é vitrine no orgao, onde cada semelhante vai poder ver e rever seus trabalhos e auditar. Essas sindicancias com natureza de Inquerito vao sair do porao um dia. Se arredondaram ou retardaram resultados esperando a Republica ruir, irao responder criminalmente tambem e demonstrarao que nao sao competentes para estarem na coain.
        Alias, dra Tania Fogaca um passarinho me contou algumas posicoes da senhora por ai, aquelas de deixar o povo com o cabelo em pe. Instaurar inquerito policial por fato atipico para intimidar desafeto!?!? Fazer vistas grossas para nao punir prevaricadores e denunciadores caluniosos?!?! Essa conta vai vir viu doutora.
        Ou faz direito, sem emocao ou paixao seu trabalho, ou pede pra sair, pq o bumerangue volta com forca.
        Quanto aos dois articuladores do mal citados na materia, a coger vai punir com o rigor dos fenapefianos???
        Ou só o Werneck que merece ser taxado de Judas?
        E o inquerito do Vicentine de Curitiba, aquele de bater papo com Youssef na carceragem vai ser levado a serio agora?
        Estamos esperando os resultados dessa Coain ate quinta-feira do jeito que esta, porque o Pais esta a beira de um estado de defesa e vcs sao cumplices e responsabilizados por isso.

        • Arauto da Verdade disse:

          O trabalho da COAIN/COGER se baseia numa análise de cenário futuro absolutamente equivocada. Eles tem medo da força, do poder da lava jato, tem medo de esclarecer de uma vez por todas os podres dos delegados do Paraná, porque acreditam que a operação é maior que a PF, maior que as leis, maior que o Judiciário e a própria política.

          QUANTA INFANTILIDADE……

          Em qualquer cenário futuro razoável, seja com a manutenção desse governo, seja com a posse de qualquer outro governo, todos os podres da lava jato (e não só aqueles cometidos dentro da pf, mas também aqueles da justiça – distribuição – e mpf – troca forçada de procurador -) serão esmiuçados, escancarados e expostos.

          O grande mérito da lava jato é escancarar a verdade, uma verdade que todos conhecem, mas que não havia subido à tona. Sim, nossa política é financiada com dinheiro público subtraído de empresas públicas e etc, é isso.
          Há corrupção, há caixa 2, a enriquecimento ilícito e é isso, há muitos anos, sempre assim.
          O problema da operação é a seletividade. Da lava jato só sai crime contra partido do governo (alo alo Andrade Gutierrez!!!). E só a lava jato, com o apoio da mídia, mantém qq um preso até delatar (tortura!).

          O que os delegados da COGER não se dão conta, é que esse novo paradigma de exposição visceral da verdade, vai funcionar também para a própria lava jato, também ela vai ser esmiuçada e exposta, pois isso é salutar e corretivo para todo o sistema de persecução criminal.

          E nesse contexto, o papel deles será definido por eles próprio:

          COVARDES QUE PREVARICARAM E ENDOSSARAM PERSEGUIÇÃO A SERVIDORES E PRODUÇÃO DE PROCEDIMENTOS FRAUDULENTOS?

          OU DELEGADOS QUE CUMPRIRAM COM O SEU DEVER, DOA A QUEM DOER?

  17. Acyr José disse:

    BEM LEMBRADO AULER!!! “a inusitada situação da doleira Nelma Kodama” que é a PRIMEIRA que a própria pf tentar livrar a cara celebrando diretamente, sem a participação do MPF um acordo, tamanho o desespero de se verem livre da japa!!, como O MPF nunca teve qualquer interesse em nenhum tipo de colaboração com a verdadeira japonesa da Federal, tamanho o descrédito que ela goza perante as autoridades, a pf ta fazendo de tudo p mandar a japa p casa (prometeram e não tem como cumprir isso) até agora não ficou explicado o porque ela foi retirada do presidio no qual já estava cumprido pena e retornou aqui p carceragem da SR, cumprindo aqui sua pena!!! isso há mais de um ano!!!!, vale lembrar que a custodia da SR. é e sempre foi local destinado a presos provisórios e de mera passagem!!!! Justificar que ela esta aqui porque esta aguardando a homologação de eventual colaboração é papo furado!!!! um ano para homologar um acordo kkkkk!! nem se ela fosse entregar o OBAMA!!!! será que os delegados permitem e “engulam”a permanência dela na sr, inclusive se submetendo a seus caprichos e os cardápios dos mais variados porque tem receio da japa falar alguma coisa????!!!, o que ocorre aqui também tem, é que ela assumiu a nobre função de relatar aos deltas tudo que ocorre dentro da carceragem, inclusive fazendo a cabeça das presas que ficam com ela, e que passam a delatar, e o que é pior, indica seu advogado para celebrar o acordo, ESCONDIDO DOS ADVOGADOS devidamente constituído nos autos!!!! será que ela ainda esta aqui porque no fundo eles sabem que ela não vai ter direito a beneficio algum e foi também enganada pelos deltas a delatar e reconhecer pessoas que ela sequer conhecia?? , To achando que se ela voltar pro presidio vai aumentar a venda de fraldas aqui no Santa Cândida, porque com certeza na hora que a japa voltar pro presidio e acabar com a mordomias dela, e seus familiares serem submetidos a uma revista intima, dai vai cair a ficha da japonesa da federal dai ela CONTA TUDO!!!

  18. João de Paiva disse:

    Grande Marcelo Auler!

    Quanto profissionalismo e dignidade! Você merece aplausos de pé. Além da publicação no blog, essa carta ao Ministro da Justiça, deve ser enviada ao e-mail funcional dele, no Ministério.

    Pela sinceridade que demonstrou na entrevista, Eugênio Aragão já enfrenta pesada artilharia não só dos insubordinados (alguns vis criminosos como se pode inferir a partir das reportagens que você publicou aqui) da PF, mas também dos caciques da chamada ‘grande mídia’. Ele precisa ter ‘couro grosso’, pois vai tomar bordoada de todos os que usam a Lava Jato (PF, MP, Judiciário e PIG) para dar um golpe de Estado, derrubando a presidente Dilma, aniquilando o PT e a Esquerda, pavimentando assim a estrada do poder para a direita entreguista, corrupta e apátrida se esbaldar no butim.

    Como tenho observado e comentado, sugiro a você que, antes de publicar as matérias, peça a um revisor, para ler atentamente os textos e corrigir pequenos erros. Pela qualidade das reportagens que você publica, os textos merecem uma revisão cuidadosa.

    A cada dia que passa tenho certeza de que o bom jornalismo está nos blogs independentes e progressistas. Vida longa e boa sorte, Jornalista Marcelo Auler.

    João de Paiva

    PS: Outros leitores lhe sugeriram formas de colaboração. Quando você tiver definido a forma, publique aqui no blog. No próximo mês, conte com minha pequena contribuição.

  19. Jossimar disse:

    Marcelo,

    estamos vivendo um golpe judicial. É o golpe está dado.
    Nem que escrevamos 54 milhões de cartas eles recuarão.
    Para mim, a responsabilidade maior pelo estado em que estamos é da Presidente Dilma que manteve no cargo por cinco anos e dois meses um ministro da justiça inerte para não dizer cumplice.
    neste período a mídia, capitaneada pelo Globo e veja, envenenou parte dos brasileiros com o vírus do fascismo. Hoje, o Brasil é um país doente. Levará décadas para nos recuperarmos. Os agentes da lava jato, delegados da PF, o MPF e os ministros do STF entrarão para a história. Entretanto, tenho certeza, não do jeito que eles pensam.

  20. Ninguém disse:

    Texto excelente. Só espero que haja tempo de o ministro fazer alguma coisa antes que seja tarde demais. Agora, decidir se vai trocar a chefia da PF em “algumas semanas” é abusar da sorte. Não há, “algumas semanas”. Os vazamentos já ocorreram aos borbotões. Sem dúvida, culpa do antecessor, o quinta-coluna, que deixou a tigrada livre para grampear e vazar à vontade e que, agora, apronta na AGU. Culpa, também, da Dilma, por manter um X9 tucano no governo por tanto tempo. O novo MJ, imagino, deve ter plena noção dessas ilegalidades pretéritas. Aguardar, para responder a esses ilícitos em “algumas semanas”, tendo em vista a velocidade dos acontecimentos, é deixar para amanhã o que precisa ser feito urgentemente hoje: as exonerações, afastamentos e trocas têm de ser feitas imediatamente.

  21. Schell disse:

    Perda de tempo, caro Auler. Pura perda de tempo. Nem esse, nem qualquer futuro ministro, fará qualquer coisa contra, infelizmente.

  22. Aline werlang disse:

    Bom dia Marcelo auler
    Espero que o novo ministro leia cada frase da sua carta; bem esclarecedora,diferente do que o povo vê na tv ou seja meias verdades !!!!

    • Marcos Souza disse:

      “Neste quarto de século, muita coisa aconteceu. Nos distanciamos, você de jovem procurador na época, chegou a subprocurador da República e eu estou na merda, fazendo frilas e babando o saco de petistas pra ver se arranjo um boquinha!” kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *