Lula no “Le Monde”: “Porque eu quero voltar a ser presidente”
17 de maio de 2018
Lula: “Ciro tem mais a receber do que a dar ao PT”
21 de maio de 2018

Marcelo Auler

Na homilia (sermão) da missa celebrada nesta quinta-feira (17/05) na Casa Santa Marta, o Papa Francisco ao falar sobre a necessidade da unidade dos cristãos, comentou as condições obscuras com que se consegue perseguir e condenar certas pessoas, tal como aconteceu com Jesus Cristo e os apóstolos Paulo e Estevão, falando inclusive nos Golpes de Estado.

Criam-se condições obscuras” para condenar a pessoa, explicou o Papa, e depois a unidade se desfaz. Um método com o qual perseguiram Jesus, Paulo, Estevão e todos os mártires e muito usado ainda hoje. E Francisco citou como exemplo “a vida civil, a vida política, quando se quer fazer um golpe de Estado”: “a mídia começa a falar mal das pessoas, dos dirigentes, e com a calúnia e a difamação essas pessoas ficam manchadas”. Depois chega a justiça, “as condena e, no final, se faz um golpe de Estado”. Uma perseguição que se vê também quando as pessoas no circo gritavam para ver a luta entre os mártires ou os gladiadores.ler

No sermão, ele ainda comentou a instrumentalização do povo citando o caso de Jesus que no Domingo de Ramos foi recebido com festa em Jerusalém, aquilo que a Igreja Católica considera a “entrada triunfal de Jesus” na cidade. Mas, como Francisco lembrou, poucos dias depois, a mesma multidão – insuflada – gritava pedindo a crucificação.

“Esta instrumentalização do povo é também um desprezo pelo povo, porque o transforma em massa. É um elemento que se repete com frequência, desde os primeiros tempos até hoje. Pensemos nisso. O Domingo de Ramos é: todos ali aclamam “Bendito o que vem em nome do Senhor”. Na sexta-feira sucessiva, as mesmas pessoas gritam: “Crucifiquem-no”. O que aconteceu? Fizeram uma lavagem cerebral e mudaram as coisas. E transformaram o povo em massa, que destrói.”

Francisco não citou nomes, tampouco países. Terá sido uma mera – e enorme – coincidência quando ele, exemplificou como tais métodos ainda se repetem nos dias atuais?

O sermão, sem dúvida vai gerar dúvidas e questionamentos sobre possíveis referências indiretas ao Brasil e ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Pode não ter sido a intenção do papa Francisco, mas as semelhanças, para muitos, não seriam meras coincidências. Mesmo que tenham sido, não faltarão aqueles que enxergarão o sermão como um reflexo do atual momento político brasileiro.

Parte da fala do Papa está no vídeo abaixo quando critica a fofoca que segundo ele “é uma atitude o assassina, porque mata, acaba com as pessoas, acaba com a reputação das pessoas”.

Prosseguindo, segundo a reportagem, ele acrescentou que a “intriga” foi usada contra Jesus para desacreditá-lo e, uma vez desacreditado, eliminá-lo:

“Pensemos na grande vocação à qual fomos chamados: a unidade com Jesus, o Pai. E este caminho devemos seguir, homens e mulheres que se unem e buscam sempre prosseguir no caminho da unidade. E não as falsas unidades, que não têm substância, e servem somente para dar um passo a mais e condenar as pessoas, e levar avante interesses que não são os nossos: interesses do príncipe deste mundo, que é a destruição. Que o Senhor nos dê a graça de caminhar sempre na estrada da verdadeira unidade”.

Abaixo transcrevemos a reportagem do Vatican News que pode ser ouvida aqui:

Papa: evitar a intriga para caminhar na verdadeira unidade

Na missa matutina, Francisco condenou a intriga como método utilizado ainda hoje para dividir, seja na Igreja, seja na vida política.

Debora Donnini – Cidade do Vaticano

Na missa celebrada esta quinta-feira (17/05) na Casa Santa Marta, o Papa Francisco dedicou a sua homilia ao tema da unidade, inspirando-se na Liturgia da Palavra.

Existem dois tipos de unidade, comentou o Pontífice. A primeira é a verdadeira unidade de que fala Jesus no Evangelho, a unidade que Ele tem com o Pai e que quer trazer também a nós. Trata-se de uma “unidade de salvação”, “que faz a Igreja”, uma unidade que vai rumo à eternidade. “Quando nós na vida, na Igreja ou na sociedade civil trabalhamos pela unidade, estamos no caminho que Jesus traçou”, disse Francisco.

A falsa unidade divide

Porém, há uma “falsa unidade”, como aquela dos acusadores de São Paulo na Primeira Leitura. Inicialmente, eles se apresentam como um bloco único para acusá-lo. Mas Paulo, que era “sagaz”, isto é, tinha uma sabedoria humana e também a sabedoria do Espírito Santo, lança a “pedra da divisão”, dizendo estar sendo julgado pela esperança na ressurreição dos mortos”.

Uma parte desta falsa unidade, de fato, era composta por saduceus, que diziam não existir “ressurreição nem anjo nem espírito”, enquanto os fariseus professavam esses conceitos. Paulo então consegue destruir esta falsa unidade porque eclode um conflito e a assembleia que o acusava se divide.

De povo a massa anônima

Em outras perseguições sofridas por São Paulo, se vê que o povo grita sem nem mesmo saber o que está dizendo, e são “os dirigentes” que sugerem o que gritar:

Esta instrumentalização do povo é também um desprezo pelo povo, porque o transforma em massa. É um elemento que se repete com frequência, desde os primeiros tempos até hoje. Pensemos nisso. O Domingo de Ramos é: todos ali aclamam “Bendito o que vem em nome do Senhor”. Na sexta-feira sucessiva, as mesmas pessoas gritam: “Crucifiquem-no”. O que aconteceu? Fizeram uma lavagem cerebral e mudaram as coisas. E transformaram o povo em massa, que destrói.

Intrigar: um método usado também hoje

“Criam-se condições obscuras” para condenar a pessoa, explicou o Papa, e depois a unidade se desfaz. Um método com o qual perseguiram Jesus, Paulo, Estevão e todos os mártires e muito usado ainda hoje. E Francisco citou como exemplo “a vida civil, a vida política, quando se quer fazer um golpe de Estado”: “a mídia começa a falar mal das pessoas, dos dirigentes, e com a calúnia e a difamação essas pessoas ficam manchadas”. Depois chega a justiça, “as condena e, no final, se faz um golpe de Estado”. Uma perseguição que se vê também quando as pessoas no circo gritavam para ver a luta entre os mártires ou os gladiadores.

A fofoca é uma atitude assassina

O elo da corrente para se chegar a esta condenação é um “ambiente de falsa unidade”, destacou Francisco.

Numa medida mais restrita, acontece o mesmo também nas nossas comunidades paroquiais, por exemplo, quando dois ou três começam a criticar o outro. E começam a falar mal daquele outro… E fazem uma falsa unidade para condená-lo; sentem-se seguros e o condenam. O condenam mentalmente, como atitude; depois se separam e falam mal um contra o outro, porque estão divididos. Por isso a fofoca é uma atitude assassina, porque mata, exclui as pessoas, destrói a “reputação” das pessoas.

Caminhar na estrada da verdadeira unidade

“A intriga” foi usada contra Jesus para desacreditá-lo e, uma vez desacreditado, eliminá-lo:

Pensemos na grande vocação à qual fomos chamados: a unidade com Jesus, o Pai. E este caminho devemos seguir, homens e mulheres que se unem e buscam sempre prosseguir no caminho da unidade. E não as falsas unidades, que não têm substância, e servem somente para dar um passo a mais e condenar as pessoas, e levar avante interesses que não são os nossos: interesses do príncipe deste mundo, que é a destruição. Que o Senhor nos dê a graça de caminhar sempre na estrada da verdadeira unidade.

 

AOS LEITORES: O Blog busca notícias exclusivas e com enfoques diferentes, em geral com detalhes e documentos que facilitam o entendimento do leitor. Isso provoca uma redução das postagens. Com menos publicações, dependemos do compartilhamento de nossas chamadas para atrair maior número de leitores à página. Também nos ajudam, e muito, as doações dos que acreditam no nosso trabalho e colaboram para a sobrevivência destas páginas. As contribuições podem ser feita em quaisquer valores, em qualquer periodicidade, na conta bancária explicitada no quadro ao lado. Agradecemos a quem puder compartilhar nossas postagens, aos que ajudam no sustento do site, bem como às novas contribuições.

9 Comentários

  1. Lafaiete Spínola disse:

    Vivemos dias de muita divisão e manipulação!

    BLOQUEIO! Censura!

    Antes, em muitos dos meus comentários, no Facebook, recebia notificações de SPAM, até de pessoas que compartilhavam esse meu principal tópico:
    https://www.facebook.com/LafaieteDeSouzaSpinola/posts/536024086555004.
    Agora, surgiu algo novo: Em muitos Blogs, não sei se isto está ocorrendo como ferramenta de bloqueio desses blogs, tudo indica, para que as pessoas não cliquem no meu link ou se é uma iniciativa do Site DISKUS. A verdade é que meus tópicos incomodam por apresentar propostas.
    1. Por que alguns sites não admiram comentários ponderados, que não usem os slogans “coxinhas”, “tucanalhas”, “gorilas”, paisanos ou qualquer termo que não ajude a união do nosso povo. Em geral, respondem usando uma linguagem similar aos dos psicopatas e manipuladores conscientes que prestam serviço à poderosa potência do Norte, em busca das migalhas que sobrem. Muitos se esquecem que até o Wlysses Guimarães, no início, apoiou o golpe de 64. Depois, lutou pela derrubada da ditadura militar.

    Em 2014; quando a Dilma inaugurou porto de Mariel, estrutura portuária em Cuba, em 28 de janeiro de 2014; esse Site Disqus que passou a trabalhar para Carta Capital começou a bloquear meus comentários e de outros que tentaram defender essa Ilha que sofria de um perverso embargo imposto pelos EUA. Pior! A porteira foi aberta para aqueles que vomitavam ódio e obscurantismo! De um momento para outro, o número de comentários na Carta Capital triplicou, numa chuva de pedras sobre a pequena Ilha e Dilma.

    2. Se o Site DISKUS está extrapolando as orientações, pois bloqueiam até a aba de contato, então, o que aconteceu em Carta Capital foi bem aceito?

    A Sede do Disqus fica em São Francisco, Califórnia, EUA. Não me cadastrei, mas é um serviço utilizado por alguns blogs e costuma enviar-me notificações, sem a minha solicitação.

    3. Resposta de um amigo, entre outros, sobre o fenômeno SPAM, no Face:
    Credo! geralmente eu curto, comento, não fiz isso não.
    -Estou com dificuldade para publicar. É geral! O Brasil está sendo dominado! Sem educação não teremos soberania!
    Com certeza, Lamentável. Triste…a maioria está com vendas e surda, Lafaiete.
    -Eles querem um país dividido, um xingando ao outro, usando as frases que semeiam o ódio. Não querem a unidade do nosso povo! Tudo que tenha sentido, precisa de boicote! Querem rinhas! Brigas de galo, até à morte! Conseguem manipular todas as camadas da nossa população!
    -O Brasil está sendo dominado! Sem educação não teremos soberania!
    Pergunto: Que Brasil conseguiremos construir, assim?
    Galileu, no século XVI, com toda sua atuação genial na física e na matemática, fez uso de um telescópio por ele construído e utilizou suas experiências para robustecer as afirmações de Copérnico e outros que defendiam o Sistema Heliocêntrico. Por essa posição foi duramente censurado pelos poderosos da época.
    Naqueles dias se alguém conjecturasse que no Século XX surgiria a internet, talvez o assunto fosse tratado como heresia. Hoje, estamos vivendo a época da internet, mas artifícios mais refinados como REPLY, LIKE e UNFOLLOW UP e outros recursos são amplamente utilizados como meio de censura.
    Bem, como sempre declarei, votei no Lula e na Dilma, contudo critico a falta de investimento na educação básica, na medida necessária, para que as mudanças estruturais possam acontecer.
    Venho defendendo, mais enfaticamente, desde 2010, mas sinto a resistência de parte da classe média que se declara avançada. Talvez, sejam os efeitos dos que desejam o Brasil como uma grande colônia do século XXI ou daqueles que se consideram donos da verdade e acreditam mudar o Brasil sem a participação maciça e consciente do povo.
    É por isso, que nos deparamos com o fortalecimento das mesmas ideias que contribuíram para o suicídio do presidente Vargas. E um dos principais motivos foi a criação da Petrobras! Agora, seu esfacelamento!

    Veja, aqui, a prova do bloqueio:

  2. Paulo disse:

    Esquerdista é bicho triste pregam o ateismo e agora querem comparar o Luladraõ com Cristo…
    O melhor a se fazer é aprender Como Rezar o Terço pelo Brasil.

  3. C.Poivre disse:

    Faltou maior contundência na fala do papa Francisco contra os golpes de Estado com base na “lawfare” que ocorreram em Honduras, Paraguai e Brasil, todos perpetrados pelos EUA. Esta fala mansa trás à lembrança o filme “Amém” do genial Costa-Gavras que mostra o silêncio cúmplice de Pio XII em relação aos crimes nazistas. Um jovem padre alemão fica esperando uma manifestação pública do papa contra as atrocidades cometidas pelo regime hitlerista, mas para sua decepção esta manifestação nunca vem e leva o padre ao desespero.

  4. GERALDO disse:

    Esquerdista é bicho triste pregam o ateismo e agora querem comparar o Luladraõ com Cristo…

  5. Foo disse:

    Acho que não foi coincidência.

    Na mesma missa, no mês passado, o papa mandou um recado ao Lula.

    Francisco propôs uma reflexão sobre a liberdade cristã baseada nos exemplos de Gamaliel, João, Pedro e do próprio Jesus.

    “O homem livre não tem medo do tempo: deixa Deus agir. Dá espaço para que Deus aja no tempo. O homem livre é paciente.”

    Já Pilatos, “percebeu que Jesus era inocente. “Mas não conseguiu resolver o problema, porque não era livre, estava preso à promoção”, “faltava a ele a coragem da liberdade porque era escravo do carreirismo, da ambição, do seu sucesso”.

    O segundo exemplo de liberdade são Pedro e João, condenados injustamente.

    No final, o Sinédrio os liberta, mas os faz flagelar embora inocentes.

    Punidos injustamente, recordou o Papa, “foram embora do Sinédrio felizes de terem sido julgados dignos de sofrer insultos em nome de Jesus”. “Esta é a alegria de imitar Jesus – comentou o Pontífice. É outra liberdade: maior, mais ampla, mais cristã”.

    O terceiro exemplo é o próprio Jesus.

    https://www.vaticannews.va/pt/papa-francisco/missa-santa-marta/2018-04/papa-francisco-missa-santa-marta-liberdade.html

  6. renata disse:

    Pode ser coincidência, mas não parece. Muitos religiosos daqui, da Teologia da Libertação, são ligados ao Lula e ao MST. O papa deve estar bem ciente das coisas que estão acontecendo aqui, não só com o Lula, como a perseguição e matança de lideranças indígenas, quilombolas e rurais/luta por terra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *