UERJ: Monumento de cultura, monumento de barbárie
31 de maio de 2015
Compartilho: “Conversa sem educação”
1 de junho de 2015

Compartilho: “Igrejas e mineração na América Latina”

Megaminas a céu aberto, desmatamento e expulsão de famílias e comunidades inteiras. Povos indígenas e comunidades quilombolas ameaçados por interesses minerários sobre seus territórios. Poluição das águas, da terra e do ar. Processos de escoamento do minério que impactam centenas de comunidades ao longo dos minerodutos ou das ferrovias que exportam a grandíssima maioria de nossos minérios. Conflitos e manifestações populares, espionagem e criminalização das lideranças.

Reprodução

Reprodução

Todas essas questões estão sendo debatidas em um vídeo – “de denúncia e esperança” , como os autores denominam – preparado pelo grupo ecumênico Iglesias y Minería  formado por leigos, leigas, religiosas e religiosos empenhados na defesa das comunidades afetadas por mineração nos diversos países do Continente.

Apesar de tudo isso, a mineração no Brasil pretende aumentar de 3 a 5 vezes nos próximos 20 anos. A proposta do novo Código de Mineração, cada vez mais criticada por comunidades, sindicatos, movimentos sociais e entidades do País inteiro, visa flexibilizar a legislação para facilitar os interesses das empresas mineradoras.

Diversas comunidades atingidas são apoiadas, assessoradas e defendidas também pelas igrejas. A Igreja Católica se posicionou com críticas contundentes contra a nova proposta de Marco Legal da Mineração. Várias lideranças cristãs de América Latina estão se articulando para buscar alternativas às agressões da mineração.

Desde 2013 o grupo articula os atingidos entre si, com a hierarquia das igrejas que queiram e possam apoiá-los, e com instituições internacionais de defesa dos direitos humanos.

‘Iglesias y Minería’ é um grito de sobrevivência, resistência e esperança, o grito das comunidades e da vida que não se deixará arrancar. Vale  a pena assistir.

1 Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *