Estado mínimo: cobertor mais curto para coronavírus
18 de março de 2020
Luiz Mandetta tem medo de peitar Paulo Guedes?
21 de março de 2020

Marcelo Auler

* Matéria Reeditada 

Dom Orani Tempesta determinou o fechamento das igrejas católicas na cidade do Rio (Foto: Agência Brasil/Tânia Rêgo)

Acatando uma recomendação do Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ), o cardeal arcebispo do Rio de Janeiro, dom Orani João Tempesta, determinou na tarde desta sexta-feira (20/03) o fechamento de todas as igrejas católicas da sua arquidiocese.

Em Nota da Cúria aos Sacerdotes, assinada pelo Vigário Geral e Moderador da Cúria, Dom Juarez Delorto Secco, a ordem do cardeal é que “as Missas devem continuar a ser celebradas cotidianamente, porém sem a participação do povo”.

Dom Orani, porém, não foi o primeiro a tomar esta atitude nesta atual crise. No mínimo 56 bispos de arquidioceses e dioceses de diversos estados, sem que fossem demandados, decidiram seguir o exemplo do Papa Francisco que tem celebrado missas em igrejas fechadas. Eles suspenderam as atividades públicas em suas igrejas contribuindo para reduzir a movimentação dos fiéis e até mesmo em nome da segurança dos seus sacerdotes.

Mas a decisão do cardeal do Rio ganha certo destaque por ser tomada no momento em que igrejas evangélicas, como a do pastor Silas Malafaia – Igreja Assembleia de Deus Vitória em Cristo – se recusam a fechar os templos. Eles criticam as medidas restritivas que impedem a circulação da população. O Ministério Público recorreu à Justiça do Rio, mas o juiz Marcello de Sá Baptista, do Plantão Judicial, recusou-se a proibir os cultos.

“O Poder Executivo não determinou a interrupção de cultos religiosos até o momento. O Poder Legislativo não criou lei neste sentido. Não pode o Poder Judiciário avocar a condição de Legislador Positivo e regulamentar uma atividade, em atrito com as normas até agora traçadas pelos órgãos gestores da crise existente”, justificou o magistrado.

O pedido do Ministério Público ao cardeal do Rio foi no sentido do “imediato fechamento das igrejas e imediata suspensão das atividades presenciais para os fiéis enquanto durar o estado de emergência na saúde pública do Rio de Janeiro, por motivo do Novo Coronavírus (COVID-19)”.

O MP-RJ destacou a necessidade de se “impedir aglomerações, de se fazer o isolamento social e fala ainda do risco de colapso no sistema de saúde público e privado, da situação de transmissão comunitária do vírus em que se encontra a Cidade do Rio de Janeiro e do deslocamento que a realização de atividades religiosas implica”.

Dom Orani já havia determinado a limitação das atividades religiosas na sua arquidiocese tendo impedido a realização de procissões e festas durante a comemoração do Dia de São José (19/03).

Diversos bispos se anteciparam

Em um levantamento bastante superficial – portanto, sujeito a omissões – o Blog identificou 12 Arquidioceses e 44 Dioceses onde as igrejas foram fechadas. Em Caxias do Sul (RS) a medida foi adotada em 20 de março, ou seja, um mês antes da Arquidiocese do Rio de Janeiro.

Pelas informações colhidas pelo Blog, os bispos que determinaram o fechamento das igrejas foi determinado pelos bispos das:

Arquidiocese de: Campinas (SP); Campo Grande (MS); Goiânia (GO); Londrina (PR); Maringá (PR); Niterói (RJ); Paraíba (PB); Porto Alegre (RS); Porto Velho (RO); Pouso Alegre (MG); Salvador (BA); Vitória (ES).

Diocese de (por Estados): Rio Branco (AC); Iguatu (CE); Colatina (ES); Uruaçu (GO); Campanha (MG); Divinópolis (MG); Januária (MG); Mariana (MG); Patos de Minas (MG); Sete Lagoas (MG); Uberaba (MG); Naviraí (MS); Três Lagoas (MS); Olinda e Recife (PE); Ponta Grossa (PR); Umuarama (PR); Caxias do Sul (RS) a partir de 20 de março; Erexim (RS); Frederico (RS); Montenegro (RS); Novo Hamburgo (RS); Pelotas (RS); Blumenau (SC); Caçador (SC); Chapecó (SC); Criciúma (SC); Florianópolis (SC); Joaçaba (SC); Joinville (SC); Lages (SC); Rio do Sul (SC); Tubarão (SC); Piracicaba (SP); Marília (SP); Assis (SP); Barretos (SP); Campo Limpo (SP); Franca (SP); Itapetininga (SP); Itapeva (SP); Jaboticabal (SP); Registro (SP); São José dos Campos (SP); Ji Paraná (RO).

Nota da Cúria do Rio de Janeiro aos Sacerdotes

 

(*) Matéria reeditada às 18h15 do dia 20/036 para acréscimo de informações sobre outras arquidioceses e dioceses que fecharam as igrejas também

Aos leitores e seguidores do Blog – A manutenção e o sustento deste Blog, que se dispõe a reportagens maiores e exclusivas, dependem das contribuições de seus leitores/seguidores. Com essas contribuições é que enfrentamos despesas com processos que nos movem, bem como nossos investimentos em viagens na busca por informações exclusivas para nossos leitores. Nosso trabalho depende dessas contribuições, em qualquer valor, em qualquer periodicidade. Para apoiar o Blog e nosso trabalho, utilize a conta bancária exposta no quadro ao lado.

O Blog aderiu ao Jornalistas Pela DemocraciaEntenda o que é e como funciona

2 Comentários

  1. As igrejas católicas, tomam a decisão certa, ao contrário das grandes igrejas evangélicas, que são verdadeiras empresas e só visam o lucro.

  2. Pe. Paulo Martins disse:

    A diocese de Macapá também fechou

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *