Leituras edificantes
1 de abril de 2016
Lava Jato não mandou ao STF bilhete que cita Dilma
2 de abril de 2016

Operação “Carbono14”: mandados ficaram um mês na gaveta. Por quê?

O ministro Teori Zavascki fez a proposta de adiar o julgamento do mandado de segurança que impede Lula de assumir o cargo de ministro da Casa Civil. Foto: STF

Marcelo Auler *

mosaico opera, manifestação e julgamento1Um detalhe, nada insignificante, nesta 27ª fase da Operação Lava Jato vem corroborar uma desconfiança forte em Brasília de que o juiz Sérgio Moro joga politicamente com esta investigação.

Os mandados utilizados nesta sexta-feira (01/04) estavam assinados desde 15 de fevereiro e ficaram guardados em alguma gaveta. Por quê?

Talvez não tenha sido mera coincidência o fato de a Operação Carbono 14, que mais uma vez tem como alvo o Partido dos Trabalhadores (PT) – inclusive remexendo em um caso mal esclarecido até o momento -, ter ocorrido no dia seguinte à sessão em que o Supremo Tribunal Federal (STF) confirmou a decisão do ministro Teori Zavascki de avocar para a corte as investigações em torno do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Agora, mesmo sem poder investigar Lula por conta do sítio de Atibaia, Moro continua em cima do PT através do Caso Celso Daniel e das propinas que o ex-secretário do partido, Sílvio Rodrigues, teria recebido. Tudo girando sempre em torno do desvio de verbas dos contratos da Petrobras, segundo as justificativas dos operadores da Lava Jato. A grande curiosidade é com relação a datas.

Os mandados para a operação desta sexta-feira (01/04) foram assinados pelo juiz Sérgio Moro em 15 de fevereiro e revistos no dia 22 do mesmo mês. Apesar disso, sem qualquer explicação plausível, eles só foram cumpridos agora, decorridos 39 dias. Em Brasília, acredita-se que o juiz está jogando com as operações politicamente.

O fato de os mandados terem ficado guardados por tanto tempo e utilizados, por coincidência ou estratégia, um dia depois da sessão do STF e das manifestações pró-Dilma, chamou a atenção de autoridade do governo. Agora, se buscará saber se foi mera coincidência ou se faz parte de uma estratégia para se ganhar espaço na mídia, abafar o noticiário desfavorável e manter mobilizada a opinião pública.

O objetivo por detrás desta estratégia seria de manter a opinião pública como aliada dos operadores da Lava Jato, ainda que gerando grandes risco de conflito. Inclusive com agressões até a ministros do STF, como ocorreu com Teori Zavascki. Isso já vem sendo admitido naquela corte. Ali, o próprio ministro Marco Aurélio, na sessão de quinta-feira, ao criticar a divulgação do conteúdo dos grampos usou uma expressão direta que não deixa de demonstrar a suspeita com relação às atitudes do juiz. Na sua manifestação, acusou Moro dizendo que ele:

“colocou mais lenha em uma fogueira cuja chama já estava muito alta, em prejuízo da paz social e da segurança jurídica”.

O decano da corte, Celso de Mello, foi mais comedido, mas também cutucou Moro com relação à preocupação do juiz em satisfazer a opinião pública. Ele lertou que  o dever de proteção constitucional precisa ser respeitado “mesmo que o clamor popular se manifeste contrariamente”.

Breno Altman: "O Brasil não pode aceitar que um estado policial se desenvolva nas entranhas de nossas instituições democráticas". Foto Reprodução JortnalGGN

Breno Altman: “O Brasil não pode aceitar que um estado policial se desenvolva nas entranhas de nossas instituições democráticas”. Foto Reprodução JortnalGGN

Condução coercitiva novamente – Independentemente da questão da data e coincidência com as manifestações pró-Dilma, nessa 27ª fase a equipe da Lava Jato voltou a utilizar o expediente da condução coercitiva. O ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares e o jornalista Breno Altman, também colaborador do partido – não se sabe se como testemunhas ou suspeitos – foram forçados a acompanhar os agentes para prestarem depoimento. Isto sem que eles, antes, tenham sido intimados. Legalmente, a condução coercitiva só pode acontecer depois que a testemunha – jamais o suspeito – recusar-se duas vezes a cumprir intimações.

No artigo/depoimento que Breno Altamn escreveu no JornalGGN de Luis Nassif. – Operação Lava Jato esculacha a Constituição -, ele corrobora a hipótese do uso político das operações:

Sou apenas mais um dos alvos deste tornado antidemocrático.

Não foi apresentada, durante o interrogatório, qualquer prova ou indício de meu eventual envolvimento no caso investigado, de suposto empréstimo ao empresário Ronan Maria Pinto.

A falta de solidez na inquirição também se revela, por exemplo, pelas perguntas que diziam respeito às atividades de antiga editora da minha propriedade, fechada há quase vinte anos, com indagações até sobre o tipo de livros que publicávamos, e à doação eleitoral de dois mil reais que fiz, em 2006, a Renato Cinco, então candidato a deputado estadual pelo PSOL do Rio de Janeiro.

O que importava, afinal, era a criação de fato político que realimentasse tanto a Operação Lava Jato quanto a ofensiva por um golpe parlamentar contra a presidente da República“.

* Vivendo e aprendendo. Esta matéria foi postada com um complemento mas, por sugestão/orientação do meu amigo Luis Nassif, eu retirei a segunda parte para postá-la como uma outra matéria. Vou acabar de editá-la e colocarei no blog novamente. Peço desculpas aos leitores mas acho que els ganharão com a divisão.

30 Comentários

  1. Márcio Moura disse:

    O Brasileiro adora criar um herói para depois esculhamba-lo, E joga-lo no lixo. AGUARDEM.

  2. hb cwb disse:

    O juiz da sentença pronta, Moro, zomba do STF, demonstra que tem medo, mas não tem vergonha! Peita as leis, a constituição e o STF; simplesmente ignora o CNJ, pois considera um órgão insignificante, irrelevante, decorativo e composta por admiradores! Não cabendo em seu próprio EGO, contando com uma legião de apoiadores, admiradores e seguidores inebriados e irracionais, arrebatados com uma cobertura sensacionalista dos grandes meios midiáticos parceiros, colaboradores e com objetivos comuns. Julga ser poderoso o suficiente para impor seus métodos, intimidar, coagir e vencer qualquer indivíduo, entidade ou órgão que discorde ou tente traze-lo para a legalidade!

  3. Luiz Eduardo disse:

    Isto mesmo. Vamos prender Sérgio Moro já e soltar todos estes pobres inocentes que estão sofrendo em suas mãos. Como confessaram sob tortura, como todas as provas são ilegais, como se trata de gente muito séria, vamos soltar todos eles. É exatamente disto que o Brasil precisa. Como a Petrobras vai muito bem e Pasadena é pura intriga da oposição, vamos parar logo com essa perseguição ao Bumlai, ao Schain e ao coitadinho do Marcelo Odebrecht. O culpado de toda a confusão é o Moro. Ah, e o FHC. Lula, é claro, não tem bada a ver com isso.

    • C.Paoliello disse:

      Este juizinho da vara da Guantánamo brasileira já devia ter sido excluído da magistratura há muito tempo. E qualquer um dos que ele prendeu ilegalmente, sem intimação prévia, é melhor do que ele, não tenho dúvida.

    • Márcio Moura disse:

      Não senhor .. tenho uma ideia melhor vamos fuzilar as pessoas que você escolher e as outras que as fuzilarem eu escolho tb pra meter uma bala na cabeça de talvez alguém que traiu a esposa ou que forjou um recibo médico do seu imposto de renda… talvez vc conheça alguém ne ?! É tudo uma questão de olho por olho? Então hora.deu olho aqui tb parceiro… só não reclama depois que ficar cego.

  4. Luis disse:

    Situação parecida ocorreu na prisão de João Santana.
    Alguns grampos revelados faziam referência ao “vaca”, que seria o Vacari.
    Só que o Vacari já estava preso há pelo menos seis meses naquela ocasião.
    Quer dizer que os elementos de prova estavam colhidos há muito e a necessidade de prisão cautelar só surgiu meses depois?
    Fica claro que a lava jato é utilizada pra alimentar a agenda oposicionista-midiatica.
    Lembrando que na ocasião da prisão de João Santana o caso FHC-Mirian tinha acabado de estourar.

  5. Vitor Tangari disse:

    Poxa até o capoteiro foi chamado, esse pessoal que não foi chamado deve ser mendigo, cracudo. Ou será que não? ou será PSDB?

  6. ex tucano disse:

    O moro deveria passar a investigar nomes de peso do psdb como serra, aecio, do pps como raul jungmann, bruno Araújo do psdb, alckiminn, Paulinho da força, eduardo cunha, michel temer, acm neto, agripino maia todos esses nomes consta na planilha de propina da odebrecht que foi apreendida com o executivo da empreiteira. ..

  7. Kalipha Pha disse:

    A lavajato há muito tempo nem se preocupa em investigar corrupção e deixa isso escancarado nas suas ações… só procuram uma maneira de derrubar Lula-lá e Dilma…
    Vergonhoso que o supremo ainda permita essa desvirtuação toda e nós continuemos a pagar a conta do golpe nesta operação toda…

  8. José paulo disse:

    Esse foi maior escândalo criado por parlamentares com um único objetivo tomar o poder através de um golpe a ação desses parlamentares já prova o caráter não precisa dizer mais nada não tem moral pra conquistar tenta tomar no golpe

  9. airoldi lacroix bonetti junior disse:

    Boa noite, todos que foram lesados pela operação lava jato, devem entrar com processo no CNJ, STF,CNMPF,MJ, para buscar justiça nos delitos cometidos pela autoridade pública, se cada um entrar com processo, ficará ruim se as autoridades superiores não tomarem atitude.
    #processocontramorocnjjá, viva a LEGALIDADE E O BRASIL!!!!!!

  10. paul moura disse:

    Deve ser por isso que a operação se chama carbono 14.

  11. Marcio disse:

    Estranho desenterrar o caso Celso Daniel,pois mesmo os procuradores da lava jato ja diziam que investigavam somente a partir de 2003.Mais explicito do que isso impossível.cada dia que se passa deixam mais evidente que a investigação visa somente o PT.

  12. Fabiano disse:

    E a lista da Odebretch enterrada nos noticiários!!!! Muito conveniente não é? Vai te Catar Moro..fascista a serviçoiço do PIG.

  13. […] Até o momento, porém, nenhuma autoridade a quem caberia tomar as rédeas das investigações destas irregularidades, fez qualquer gesto neste sentido. Antes pelo contrário, estão deixando correr solto em sindicâncias que não acabam ou outras feitas sorrateiramente sem alarde. Enquanto isso, os Operadores da Lava Jato continuam tentando tampar o sol com a peneira escondendo fatos do passado, bem como insistindo em erros anteriores. Na sexta-feira, por exemplo, durante a Operação Carbono 14, voltaram a levar coercitivamente o ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares, e o jornalista Breno Altman, como descrito na reportagem Operação “Carbono14″: mandados ficaram um mês na gaveta. Por quê? […]

  14. Messias Franca de Macedo disse:

    [Corroborando com uma teses do conspícuo e destemido jornalista Marcelo Auler!]

    BRASIL DO BEM

    A TV BAND(IDA)NEWS COMETE CRIMES HEDIONDOS TÃO QUANTO A GLOBO

    Ontem ao final da noite, eu resolvi vedar as minhas narinas e usar a minha máscara blindada contra ‘infecção eletromagnética’ (sic).
    Sintonizei na TV BAND(IDA)NEWS!
    Um massacre:
    a reportagem repetida ao longo de toda a programação.
    A narrativa não poderia ser mais perversa, canalha e estupidamente covarde.
    A Operação Carbono 14 e “a exumação do caso Celso Daniel”!
    Com requintes de banditismo vulgar, a ‘reporcagem’ da TV BAND(IDA)NEWS!
    Em dado momento é apresentada uma imagem do ex-prefeito Celso Daniel discursando, e a fala:
    “Nós temos que ser um Partido Político que sempre deve prezar de forma absoluta pela seriedade no trato com a coisa pública.”
    Antes e depois, várias vezes é mostrada a imagem do Celso Daniel no local da morte.
    O Celso Daniel apresentado como um dos formuladores pelo projeto que levou Lula à presidência da República em 2003.
    Ao fim da matéria, um [suposto] mísero espaço para o ‘outro lado’, a defesa:
    a leitura de um trecho de uma nota divulgada pelo Instituto Lula:
    ‘O presidente Lula antes, durante e depois do exercício do mandato de presidente da República nunca se envolveu com atos ilícitos.’
    Ou seja, mirando os(as) telespectadores(as) incautos(as) e furibundos, a tentativa da ‘reporcagem’ criminosa de passar a ideia de que o presidente Lula é o suspeito pelo planejamento da morte do prefeito Celso Daniel – uma queima de arquivo para que o Partido dos Trabalhadores superasse o óbice do discurso do ex-prefeito de Santo André de que “teremos que ser sempre sérios na gestão pública”.
    [E ainda durante toda a sequência do noticiário geral, as legendas que se alternam e se repetem na parte inferior da ‘telinha’ onde predominam manchetes que reverberam a mais recente criação do “juiz” sérgio ‘mor(T)o’: “a conexão da *969a (sic) fase da midiático-fascigolpista Operação ‘Lava [DEMoTucano a] Jato’ e o caso Celso Daniel”.
    *a fase intitulada ‘Carbono 14’

    BRASIL DO BEM,
    é verdade: o **PIMG atua enquanto máfia hedionda organizada – e cuidadosamente concatenada!
    O **PIMG reles concessão pública do Estado brasileiro.
    **PIMG (Partido da Imprensa Mafiosa &$ Golpista)

  15. Antonio Souza Bittencourt Neto disse:

    O que precisa ser esclarecido é se o MORO manda e faz o que que ou existe um STF atuante neste país?
    Porque o que parece, o sujeito faz o que quer, comete crime contra a segurança NACIONAL e
    ninguém faz nada?
    Este sujeito está a serviço de que país???? Desestabilizando e sendo acobertado…
    Acorda BRASIL!

  16. Ivo Menezes disse:

    Servidores públicos fazendo uso para si das prerrogativas dos cargos que ocupam – que só existem para a defesa da sociedade -, é caso de estupro. Além de ato criminoso, o que espanta é a sociedade não ter(?!!) instrumentos para coibir tal prática, e fica uma nação inteira a mercê dos atos hostis de poucos homens empoderados, gerando tensão social, já que brincam com fogo.

  17. alex disse:

    Não esqueçam que a votação do impeachment acontecerá numa quinta-feira ou sexta, dia da publicação do escândalo da semana, Veja, Isto é, Época estão a postos. Já estão prontas as capas dessas revistas para incendiar a população nos dias que antecederão a votação. A mais suave será “Lula foi o mandante no caso Celso Daniel” a capa mostrara o Lula com a máscara do psicopata Hannibal Lecter. A galera toda invadira o planalto central pedindo a cabeça da Dilma e o Bonner dirá com a melhor voz impostada comprada por 2 milhões de reais por mês que “O Brasil está em crise”.

    Reparem que o Cunha está em “modo intocável” ele só será chamado pelo Moro após a votação porque nesse momento, conforme o cronograma do golpe, ele já terá entregue a cabeça da Dilma em bandeja de prata…. Mas o chamará para combinar os pagamentos e a repartição dos 20 milhões de dólares que estão na Suíça, seguindo o mesmo roteiro do BANESTADO Vs Youssef……farão uma delação cenográfica cheia de capas da Veja e colocarão uma tornozeleira no deputado para fazer de contas que no Brasil tudo mudou, anos mais tarde na CPI do Moro descobrirão que tudo não passou de uma armação.

    A imprensa livre tem apenas dez dias para desmascarar mais esta farsa, que já está com todas as capas de revistas prontas para provocar a hecatombe final, e alertar também ao empresariado paulista que o negócio do Moro é com as multinacionais e que podem tirar o cavalinho da chuva que todas elas irão quebrar caso o Juiz continue governando o Brasil a traves de escândalos provisórios.
    GOLPE mesmo é engendrar uma CRISE no intuito de gerar os argumentos para derrubar a Dilma e prender o Lula. Golpe é fazer uma operação Conta Gota par e passo com o Jornal Nacional repercutindo na revista Veja religiosamente toda sexta feira o vazamento da semana, gerar a instabilidade jurídica necessária para detonar a economia brasileira, levar milhares de empresários a banca rota, jogar milhões de brasileiros na rua, por tabela elevar os índices de violência urbana, provocar um prejuízo TRILIONÁRIO aos cofres públicos só para viabilizar a entrega da Petrobras ao pessoal da FORTUNE (Chevron e Exxon) e chamar tudo isso de “Impeachment”

    Temos que pedir o impeachment do Moro em quanto ainda exista Brasil para reconstruir…para ele os destinos do Brasil se resumem num pedido de desculpas.

    https://www.youtube.com/watch?v=m92wwsCxk7k

  18. Márcio Moura disse:

    Quando chega a esse ponto, acho melhor repensarmos somente tudo…

    http://www.portadosfundos.com.br/video/delacao/

  19. Como membro da PF, ainda assim me sinto triste com os deslizes que permitem associações políticas. Lamento mais, por ter amigos íntegros compondo a equipe, que jamais concordariam com o Carnaval político. A Lava Jato mereceria uma cópia nas bibliotecas das melhores academias policiais do mundo. Cumpriria o mesmo papel impar sem violar o Art. 5¤ da Constituição e sem municiar golpistas.

    • Eduardo Jorge Souza da Silva disse:

      Senhor Armando,

      Tenho acordo que generalizar as ações politico-policiais de parte da PF é injusto, pois certamente, há policiais e delegados honestos, que sabem agir dentro das normas, hierarquia e da lei.

      Mas no atual momento, é preciso unidade de pensamento e de ação, ou seja, que o senhor e os demais honestos e equilibrados da PF defendam com ações, a PF das estripulias desajuizadas daqueles que todos sabemos quais são.

      Eduardo Jorge

  20. Schell disse:

    Ora, como o Moro faz e acontece: joga nas 3, como policial, ministério público e juiz, para ele tanto faz ou tanto fez, pois, sabe que o apequenado stf e o omisso (cadê o dito presidente Lewandovski) cnj JAMAIS tomarão qualquer medida objetiva contra ele: portanto, quem tirou os gatos do saco, agora, que sofram os arranhões. Houvesse ética e direito nas corregedorias e ele já teria sumido há tempos. Pelo visto, o Moro troca a corrupção dos outros pela sua.

    • Nahum Pereira disse:

      Bem, o multitarefas Moro tem bem em quem se espelhar. Ainda recentemente o já retirado ministro Joaquim Barbosa exerceu simultaneamente os papeis de investigador, acusador e juiz na Ação Penal 470. Quando o ministro Lewandovsky interveio para trazê-lo de volta aos preceitos constitucionais, foi tachado de defensor dos réus. Torcendo intensamente, como brasileiro, para que não demore muito a chegar o tempo em que a lei e a justiça sejam de fato respeitadas… pelo Judiciário!

  21. […] Os mandados usados ontem, na Operação Carbono-14 da Lava Jato estavam dormindo assinados nas gavetas da Polícia Federal desde o dia 15 de fevereiro e “renovados” sete dias depois, a 22, revela hoje Marcelo Auler em seu blog. […]

  22. Junior Freitas disse:

    A lava ato não se preocupa com regras, normas, códigos, procedimentos, pois nunca foi uma ação policial/judicial, sempre foi uma ação política.
    Primeiro embarcaram como ponta de lança na campanha de 2014 (por que motivo antes da eleição não foi citado um parlamentar ou político que não fosse do PT, e depois, váaaaaarios?!), perdida a eleição, partiram para a destruição do governo, sacrificando praticamente todo um setor da nossa economia.
    Houve o sacrificio uma classe de oligarcas, em busca de um objetivo maior (o poder absoluto para quem comanda os bonecos força tarefa/juiz).
    Perderam de novo, e agora dão uma guinada mais política ainda. Já há tempos os mandados da força tarefa só são cumpridos no ABC paulista, nascedouro do PT.
    Enfim, só não vê, quem não quer.

    • Nahum Pereira disse:

      Verdade, caro Junior Freitas. Mas há mais. A Lava Jato não se preocupa também com corrupção. Apenas a dos que quer derrubar a qualquer custo.

  23. Meire disse:

    Até quando seremos obrigados a assistir funcionários públicos usando do seus cargos e prerrogativas para atacar discriminadamente quem quer que seja????

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *