Moro, o pendular
11 de abril de 2017
Rio: traição, corrupção e calvário
13 de abril de 2017

Temer, o Judas que trai os trabalhadores. (Foto retirada do Portal Vermelho - http://www.vermelho.org.br/noticia/285721-8

Marcelo Auler (*)

Temer, o Judas que trai os trabalhadores. (Foto retirada do Portal Vermelho - http://www.vermelho.org.br/noticia/285721-8

Temer, o Judas que trai os trabalhadores. (Foto retirada do Portal Vermelho – http://www.vermelho.org.br/noticia/285721-8

Michel Temer, o usurpador, pelo que diz a chamada mídia tradicional, anda preocupado com possíveis traições de sua base aliada, aquela que recebeu promessas e favores, cargos e benefícios, para apoiar o golpe do impeachment que o colocou na cadeira de presidente da República, retirando da mesma que foi eleita para ela com 54 milhões de votos.

Sua preocupação estaria na traição na hora da aprovação da reforma da previdência. Aquela que vai dificultar o trabalhador de se aposentar. Ele, porém, deveria se preocupar com outro tipo de traição: a que está cometendo com a classe trabalhadora, como denunciaram os Ministros e Custódios da Conferência da Ordem dos Frades Menores do Brasil (CFMB).

Provavelmente, como sempre acontece, trancado entre as paredes de suntuosos palácios em Brasília, não sabe o que se passa no dia a dia dos brasileiros. Talvez nem tenha tomado conhecimento que os franciscanos os compararam a Judas Iscariotes. Pode descobrir no próximo sábado, quando a tradição faz com que em diversas esquinas pelo Brasil adentro ocorra a malhação aos traidores, na figura de Judas, que traiu Jesus. Não será surpresa se surgirem bonecos do presidente…

Certamente ele não terá visto, também, exemplos de mobilização espontânea da população pregando contra as suas reforma. Exemplos como da professora Lídia, até aqui uma anônima, que ao entrar no Metrô do Rio de Janeiro não perdeu a oportunidade de alertar os demais passageiros para os despropósitos das mudanças que o governo ilegítimo quer impor ao Congresso.

Casos como estes é que, independentemente da vontade palaciana, poderão levar deputados e senadores a “traírem” Temer. Não por convicção de que o discurso da professora está correto, mas em uma tentativa de salvarem suas peles.mandatos nas próximas eleições. Como mostra o vídeo abaixo, a professora Lídia alertou:

“(…) não satisfeitos em roubarem o nosso dinheiro, estão tirando agora os nossos direitos, através da terceirização e da previdência. Não demora, seremos um país aonde ninguém irá se aposentar integralmente, ninguém será contratado, ninguém irá tirar férias. Se informem (…) Os direitos que temos hoje foram conseguidos pelas gerações que vieram antes de nós. Cabe a nós, agora, a responsabilidade de não deixar esse legado de miséria e de exploração para os que virão depois de nós”

Como chegou, ela se foi, identificando-se apenas pelo primeiro nome e a condição de professora aposentada. Talvez tenha ido pregar civismo em outro canto. Sorte que alguém filmou e a representante do Portal dos Aposentados no Facebook incluiu o vídeo na página. Mesmo vídeo repassado ao Blog. Aliás, fica o desafio de identificarmos Lídia, a professora aposentada que continua dando aula. De cidadania. Em público. No metrô (como no vídeo abaixo), ou em qualquer outro lugar:

Por onde anda Lídia, a professora aposentada, que ensina cidadania no metrô do Rio?

Muito provavelmente também a professora Lídia desconhecia a manifestação dos Franciscanos, cujos representantes das diversas províncias, também se posicionaram com relação às reformas que o governo ilegítimo está impondo à nação.

Provincia FranciscanaVeio de Olinda, em Pernambuco, a comparação de Temer com Judas, que traiu Jesus por um saco de dinheiro. Foi feita pelos provinciais da Ordem dos Frades Menores do Brasil, de diversos pontos do país, ali reunidos. Os tradicionais Franciscanos, em carta aberta, seguindo os passos do que já fizeram a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), a Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB) – veja na postagem Boff: saída da crise virá das bases – alertaram:

A pressa de Temer com reformas é a mesma de Judas para entregar Jesus“.

Na verdade, embora secularmente seja uma instituição dividida, com padres, religiosos e bispos de todos os matizes ideológicos – inclusive aqueles que abençoaram, de forma açodada, as reformas de Temer -, nota-se aos poucos que a Igreja Católica está se posicionando da maneira firme e clara em sua maioria a favor dos trabalhadores e dos desvalidos, como prega o papa Francisco.

São múltiplos exemplos aos quais se juntou mais este, muito pouco divulgado. Deixando claro que Judas traiu Jesus e Temer trai o povo brasileiro, especialmente os mais simples: trabalhadores e assalariados, “entregues de bandeja ao interesse dos detentores do poder e do dinheiro“. Leia a íntegra do documento que assinaram:

Reedito a postagem para incluir a foto muito melhor publicada pelo Jornal TodaPalavra na reportagem   As Igrejas contra o governo, cuja leitura recomendo.

Carta Aberta ao Povo Brasileiro contra a Subtração de Direitos Fundamentais

Depois do pedaço de pão, Satanás entrou em Judas. Então Jesus lhe disse: ‘O que tens a fazer, executa-o depressa’” (Jo 13,27)

Franciscanos contra a reforma da Previdência, foto extraída do Jornal TodaPalavra -http://www.todapalavra.info/single-post/2017/04/12/As-igrejas-contra-o-governo

Franciscanos contra a reforma da Previdência, foto extraída do Jornal TodaPalavra -http://www.todapalavra.info/single-post/2017/04/12/As-igrejas-contra-o-governo

Reunidos no Convento São Francisco, em Olinda (PE), o primeiro Convento da Ordem dos Frades Menores no Brasil (1585), entre os dias 27 e 31 de março, nós, os Ministros e Custódios da Conferência da Ordem dos Frades Menores do Brasil (CFMB), desejamos manifestar nossa máxima preocupação diante do momento político e social que vivemos em nosso país.

O ritmo célere da tramitação de propostas polêmicas em torno de temas delicados faz-nos recordar a pressa de Judas Iscariotes para entregar Jesus aos poderosos. Neste caso, entregue de bandeja ao interesse dos detentores do poder e do dinheiro está o povo brasileiro, especialmente os mais simples: trabalhadores e assalariados.

Propostas aos moldes da PEC 287/16, que versa sobre a reforma da Previdência, e o “desengavetamento” repentino e acelerado do Projeto de Lei 4.302/98, que aprova a terceirização irrestrita de todas as atividades profissionais, soam como uma “corrida” contra o tempo de quem deseja, à força de um momento de instabilidade e insegurança, ver aprovadas leis que, à custa da subtração dos poucos recursos de muitos, concentrar ainda mais a riqueza nas mãos de uma seleta minoria.

Cientes de que teto, terra e trabalho são direitos inalienáveis de todo e qualquer ser humano (Cf. discurso do Papa Francisco aos Movimentos Populares em outubro de 2014), e em comunhão com a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), a Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB),  a Conferência da Família Franciscana no Brasil (CFFB), os Presidentes e Representantes das Igrejas Evangélicas Históricas do Brasil e outras entidades e instituições que manifestam as mesmas preocupações, queremos também apresentar nossa disposição em trabalhar com firmeza para que nenhum direito dos mais pobres seja subtraído injustamente.

Pautados pelos princípios do respeito, da justiça e da paz, valores irrenunciáveis de nossa tradição franciscana, convocamos todas as pessoas de boa vontade, especialmente nas comunidades de fé onde nos fazemos presentes, a se mobilizarem ao redor destes temas, a fim de buscarmos o melhor para o nosso povo.

Olinda, 31 de março de 2017.

Frei João Amilton dos Santos, OFM, Província Franciscana de Santo Antônio do Brasil (PE, CE, BA, AL, SE, RN, PB)

Frei Inácio Dellazari, OFM, Província São Francisco (RS)

Frei Fidêncio Vanboemmel, OFM, Província Imaculada Conceição do Brasil (SP, RJ, PR, SC e ES)

Frei Hilton Farias de Souza, OFM, Província Santa Cruz (MG)

Frei Marco Aurélio da Cruz, OFM, Província Santíssimo Nome de Jesus (GO, TO, DF)

Frei Bernardo Brandão, OFM, Província Nossa Senhora da Assunção (MA, PI)

Frei Francisco de Assis Paixão, OFM, Custódia São Benedito da Amazônia (PA, AM, RR)

Frei Flaerdi Silvestre Valvassori, OFM, Custodia do Sagrado Coração de Jesus (SP, MG)

Frei Roberto Miguel do Nascimento, OFM,  Custódia das Sete Alegrias de Nossa Senhora (MS e MT)

Frei Valmir Ramos, OFM, Definidor Geral da Ordem dos Frades Menores (Roma, Itália)

(*) Reeditada às 12H58 do dia 14/04, para incluir a foto muito melhor publicada pelo Jornal TodaPalavra na reportagem   As Igrejas contra o governo, cuja leitura recomendo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *