Investigação preguiçosa: nenhum documento!

vão se os manifestantes, ficam os rojões. editado
Curitiba: vão-se os manifestantes, ficam os rojões
11 de maio de 2017
maes e gravidas nas manifestações2
NOSSA HOMENAGEM ÀS MÃES BATALHADORAS!
14 de maio de 2017
espedrava um documento, maS NADA.nada.3

Arnaldo César (*)

espedrava um documento, maS NADA.nada.3Já se passaram três dias do depoimento do ex-presidente Lula ao juiz Sérgio Moro e a mídia convencional continua ocupada em querer mostrar quem venceu aquele embate. É lógico que sempre puxam a brasa para o seu protegido, o “Narciso Togado”. Para isso movem mundo e fundos. Toda a sorte de especialistas tem opinado. Até entendidos em expressão corporal foram convocados. Diagnosticaram, com precisão científica, todos os tiques nervosos do depoente, frente à câmara solitária que gravou a mais concorrida de todas as audiências da “Lava Jato”.

Na extenuante oitiva de cinco horas há acertos e erros para todos os gostos. Coxinhas e petralhas têm argumentos suficientes para desenvolverem a tese que bem entenderem. Neste “FlaxFlu” em que se transformou a audiência do último dia 10 pode até não ter um vencedor. Mas, diante mão, já se sabe quem é o grande derrotado naquele ringue: a mídia brasileira.

O que, realmente, importa para a maioria da opinião pública é a confirmação cabal de que Lula é o verdadeiro dono do maldito tríplex do Guarujá (o mesmo vale para o tal sítio em Atibaia). Também desejam saber se esses imóveis foram adquiridos com dinheiro sujo, oriundo do propinoduto da Petrobras. O próprio Lula, ao falar à multidão que o esperava na Praça Santos Andrade, no centro de Curitiba, cobrou isso: uma prova, como mostra o vídeo abaixo.

Os jovens “Senhores” procuradores da República e os “atilados” delegados da Polícia Federal com todo o poder de polícia que dispõem, não conseguiram, ao longo de dois anos, encontrar uma prova qualquer. O que deixa transparecer que as investigações da Lava Jato são marcadas por uma dose cavalar de preguiça.

Os agentes da lei têm o respaldo do juiz Sérgio Moro para meter o pé na porta, apreenderem o que bem quiserem – até mesmos os Ipads de inocentes. Mas não conseguiram o registro em um cartório de imóveis para apresentarem uma escritura em nome de Lula ou de dona Marisa. Nem mesmo em nome de qualquer “laranja”. Uma cobrança do próprio Lula ao discursar em Curitiba para as milhares de pessoas que participaram da Caravana em seu apoio.

Isso seria o mais comezinho dos trabalhos de investigação. Não precisa ser formado na Faculdade de Direito do Largo de São Francisco, em São Paulo, para saber disso.

Supõe-se que rastrearam a movimentação financeira da família da Silva, através de registros digitais, no Banco Central, mas nada de consubstancioso foi mostrado na audiência.

Espremer um acusado, numa delação premiada, é muito mais cômodo. Aliás, é assim que as polícias de todos os quadrantes deste País fazem para desvendar um crime: torturam o suspeito até ele confessar.

Dilma Rousseff foi apeada do poder por conta de uma denúncia vazia. Puniram-na por um crime que não cometeu. Moro irá condenar Lula sem uma prova material sequer. É tudo na base do disse-me-disse. O que não chega a ser motivo de surpresa e indignação. É assim que o “lawfare” (uso da Justiça com fins políticos) atua em qualquer lugar do mundo.

Por que as grandes redações não mergulham nas busca desta tão almejada prova? Quem levantou a questão do tríplex foi O Globo. Até hoje se vangloria disso. Mas, por que não avançou?

Como Lula lembrou no discurso em Curitiba, somente no Jornal Nacional da TV Globo, nos últimos 12 meses, foram 18 horas de notícias negativas contra ele:

Significa 12 partidas de futebol entre o Real Madri e o Barcelona“.

As respostas para essas desconfortáveis indagações rendem uma tese de mestrado. As constatações mais óbvias levam-nos as seguintes conclusões: a) a preguiça que tomou conta dos procuradores e dos delegados federais é a mesma que contaminou os jornalistas e b) têm medo de descobrirem que tudo não passou de uma grande farsa.

Se Lula e os seus advogados estão dizendo a verdade, como desmentir as acusações feitas anteriormente? Este dilema atormenta os editores globais. Podem ter mentido e não sabem como sair da armadilha montada por eles mesmos. Sendo assim, a mentira prevalece. Doa a quem doer.

A imprensa atuou politicamente. Adotou um lado da briga e não consegue enxergar mais nada. É arrogante, partidária e panfletária.  Jornalismo para valer é outra coisa. Moro está obcecado com a ideia de colocar Lula na cadeia. Ocorre que nem ele e tampouco a mídia golpista que o acompanha cegamente estão conseguindo convencer a maioria da sociedade de seus argumentos mirabolantes.

A verdade é que os cidadãos que trabalham de sol a sol não têm tempo para se ocupar desse debate esquizofrênico. O que importa é saber se há ou não prova de que o Lula roubou. É preto no branco. Ou para usar uma expressão bem carioca: “vale o que está escrito”. Como nada disso, aconteceu até agora Lula só faz crescer nas pesquisas de intenção de votos para 2018.

(*) Arnaldo César é jornalista e colaborador do Blog.

Apoio:

Advocacia Eny Moreira

11 Comentários

  1. Flávio Ferreira disse:

    FHC sabia da corrupção na Petrobras. Escreveu em seu livro. Nunca foi incomodado pelo MPF, Moro ou imprensa. Lula é o PT não aproveitou a chance quando foi indagado sobre o assunto. Agora os jornais falam que ele foi avisado. Surge mais uma oportunidade de demonstrar a parcialidade da justiça e da imprensa lembrando que FHC escreveu sobre o assunto e nada fez. Aliás, prevaricou porque negou que soubesse em sua oitiva como testemunha, com Moro no comando, quando era obrigado a falar a verdade. Duvido que o PT ou Lula utilizarão isso, não entenderam que é guerra. Não utilizaram are hj o infame jantar de FHC com as empreiteiras, noticiado pela imprensa e abençoado pelo então sub-procurador geral Janot. Se não destruírem o inimigo com que tem, serão dizimados.

  2. C.Poivre disse:

    Este troll, o tal de Ric, caso tenha alguma prova que incrimine o Presidente Lula por quê não envia pelo Sedex-10 para o agente da CIA travestido de “juiz”?
    A Farsa a Jato está desesperada atrás de um fiapo de prova que seja. Ajude o seu ídolo Ric, mande logo a prova pra ele!

  3. Ric disse:

    E a pergunta que não quer calar continua sem resposta: porque a empreiteira gastou mais de um milhão reformando, aparelhando e personalizando o apartamento pra madame?

    • Maicon Robson Neves disse:

      Se você assistiu ao depoimento, verá que essa pergunta foi respondida, até com certo tom de ironia, Lula disse: “Provavelmente porque a empreiteira queria vendê-lo.” a questão de personalização “para a madame” é mera suposição, pois com base em que você afirma isso ? há algum pedido dela referente a isso ? pode até ser que isso seja verdade, mas deve-se apresentar provas para tal afirmação, senão, ficamos no achometro, a lei não pode funcionar assim.

  4. Ric disse:

    Ocultação de patrimônio não tem documentos de cartório. Achei que o blogueiro fosse mais inteligente…

    • Claudia Souza disse:

      Você caro colega é que não tem inteligência nenhuma e parece não saber usar o raciocínio lógico para analisar os fatos bem como o depoimento do presidente Lula. Um documento sem assinatura que valor tem? Prova o que?
      Ao acusador cabe o ônus da prova.

    • Maicon Robson Neves disse:

      Compreensível, mas e ai, na sua opinião o que provaria que é dele nesse caso ??
      Eu penso aqui, se não há documentos então o que provaria seria evidências de que ele usou como se dele fosse, sendo assim, deveria haver utensílios de uso pessoal da família no imóvel, sei lá, um chiclete debaixo da mesa, escova de dente, uns tufo de cabelo, sei lá, não vi sequer de uma tanga do cara achada lá, então me parece que não tem prova nesse sentido também, então te pergunto, do que foi apresentado até agora, qual é prova material de que é dele ? porque alguma prova material tem que ter, se não é documental que seja nessa linha CSI ai, mas por enquanto, me parece não haver nada além ilações mesmo.
      O cara não pagou pelo imóvel, não fez uso do imóvel, pra que serve essa joça afinal ?

  5. Ivete disse:

    Excelente matéria, como sempre fruto de um jornalismo sério e investigativo. O depoimento de Lula dia 10 de maio é coerente com um processo político, não judicial, diante de um juiz que é simplesmente um “tarefeiro” do grande capital e dos golpistas. De acusado Lula foi acusador e saiu-semelhor que os meninos do Mpf do Paraná.

  6. João de Paiva disse:

    Esta e a outra reportagem – a de Marcelo Auler, mostrado que nem polícias nem MP deram a mínima para os morteiros lançados contra integrantes de movimentos sociais que se deslocaram até Curitiba e acamparam um terreno da rodoferroviária, para apoiar a Democracia e o Ex-Presidente Lula, vítima de uma perseguição política e caçada judicial típica do nazifascismo – além da histórica série de reportagens publicadas nos últimos dois anos por este blog, denunciando, com provas, o cometimento de diversas ilegalidades criminosas por parte de policiais federais, procuradores do MP e juízes (como sérgio moro e desembargadores do TRF4) constituem provas cabais de que os mais perigosos e perniciosos criminosos encontram-se na burocracia do Estado, não no PT.

    A mais acintosa e perigosa ORCRIM institucional em ação no Brasil é a Fraude a Jato, que segue as ordens do alto comando internacional do golpe – que fica nos EUA – e que é aliada e representante das oligarquias plutocráticas, escravocratas, cleptocratas, privatistas e entreguistas que dominam desde sempre a política e o poder de fato neste País. A outra ORCRIM que deve ser ser desmantelada é a do PIG/PPV.

    As FFAA também estão na trama golpista, como mostram a infiltração do P2 Willian pina Botelho em grupo de jovens que por meio de rede social marcavam encontro para protestarem contra o golpe, em São Paulo, ou naquela revelação feita por Romero Jucá, em conversa com o ex-senador tucano Sérgio Machado. No mesmo ‘edificante e republicano’ diálogo Jucá mostra que o Judiciário e sua cúpula estão metidos até o pescoço na trama golpista. A mesma conversa tem a chave que dá fortíssimas pistas e indícios de que Teori Zavascki – que Jucá afirma ser muito fechado, ou seja, não ter aceitado completamente as chantagens e cooptações das quadrilhas golpistas – foi vítima de um atentado. O silêncio absoluto do PIG/PPV, da PF, do MP, das FFAA sobre o “acidente” mandrake que matou Teori e mais 4 pessoas são indícios fortíssimos de que ocorreu, de fato, um atentado.

    Portanto, mais do preguiça o que se verifica é que as instituições que compõem o chamado sistema de justiça (polícias, MP e PJ), com atribuições de investigar, denunciar e julgar práticas criminosas, têm, no seio delas, ORCRIMs institucionais. Ora, se essas instituições fazem parte da trama golpista, como esperar delas dedicação, interesse e investigação de práticas criminosas sintonizadas com os interesses golpistas?

    Não podemos ter medo de denunciar o aparelho repressor do Estado – PMs de SP, PR, RJ, GO e de outros estados da federação – que apóia as manifestações golpistas e nazifascistas e reprime com violência as manifestações populares contra o golpe e pela volta da democracia. A Força Nacional, o Exército e outras FFAA também estão com os golpistas, assim como a PF, o MP e o PJ. Èticamente, moralmente, socialmente e històricamete o golpe está desmascarado e desmoralizado; mas os golpistas têm consigo todo o aparato de força e de repressão do Estado, assim como os veículos do PIG/PPV. Se não fosse a internet, a narrativa do golpe teria se consolidado. Mas na era digital, nem mesmo os ‘golpes suaves’ passam desapercebidos. Para piorar, os golpistas não têm qualquer projeto de País e colocaram o Executivo Federal as quadrilhas mais corruptas que a pior política brasileira conseguiu produzir em 500 anos. Se MT e sua camarilha não forem defenestrados, não só este ano de 2017, mas também 2018 será marcado não só pela depressão econômica, como pela desagregação social e crise política insolúvel.

  7. Eu tive a paciência de ficar dois dias assistindo e analisando o depoimento de Lula para o juiz Moro. Procurava alguma vacilação do depoente ou alguma prova contundente apresentada pelo juiz. Foi extremamente cansativo, só ouvi perguntas para tentar validar depoimentos de terceiros, ¨pegadinhas¨ para contradizer o depoente, indagações que não diziam respeito aos objetivos determinados pelo processo, indagações repetidas várias vezes até a exaustão. Enfim, gostei dos esclarecimentos prestados pelo ex-presidente Lula, de sua paciência e da declaração final, esclarecedora de sua posição em relação ao processo. Quanto ao juiz Moro e o Ministério Público, não observei nada que evidenciasse a culpa de algum delito,, apenas suposições tênues facilmente contraditadas pelo réu. CONCLUSÃO: Não seria necessário quatro horas de conversação para chegar a NADA! Nenhuma PROVA! Apenas SUPOSIÇÕES! Se tudo isso foi feito apenas para torturar o réu, o ex-presidente Lula portou-se BRILHANTEMENTE!

    • Maicon Robson Neves disse:

      Cara cansativo mesmo, e de fato, nada concreto, absolutamente nada, ao menos serviu para desmistificar vários boatos que via rolando por ai e saber quais os fatos concreto que há contra o Ex-presidente. triste ver como há mais de um ódio infundado nas pessoas do que interesse por verdade e/ou combate a corrupção.

Deixe uma resposta para Marcio N. Galvão Cancelar resposta

O Blog não faz censura ideológica, removemos comentários que façam ingerência na vida íntima das pessoas – que não sejam pertinentes à postagem – assim como denúncias que não temos como comprovar. Também será excluído palavreado chulo. Entendemos que em determinados casos as pessoas usem pseudônimos para manter sua privacidade, o Blog, em uma atitude de cautela, não permitirá que pseudônimos diversos sejam utilizados pelos mesmo remetente. Detectados estes casos, os comentários serão removidos.

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>