A experiência em busca de emprego: vida que segue.
7 de outubro de 2017
As vivandeiras estão de volta
10 de outubro de 2017

“Ensina a teu filho”, por Frei Betto

Frei Betto (*)

FRei Betto e bandeira“Ensina a teu filho que o Brasil tem jeito e que ele deve crescer feliz por ser brasileiro.

Há neste país juízes justos, ainda que esta verdade soe como cacófato. Juízes que, como meu pai, nunca empregaram familiares, embora tivessem filhos advogados. Jamais fizeram da função um meio de angariar mordomias e, isentos, deram ganho de causa também a pobres, contrariando patrões gananciosos ou empresas que se viram obrigadas a aprender que, para certos homens, a honra é inegociável.

Ensina a teu filho que neste país há políticos íntegros como Antônio Pinheiro, pai do jornalista Chico Pinheiro, que revelou na mídia seu contracheque de parlamentar e devolveu aos cofres públicos jetons de procedência duvidosa.

Saiba o teu filho que, no monolito preto do Banco Central, em Brasília, onde trabalham cerca de 3 mil pessoas, a maioria é honrada e, porque não é cega, indignada ante maracutaias de autoridades que deveriam primar pela Ética no cargo que lhes foi confiado.

Ensina a teu filho que não ter talento esportivo ou rosto e corpo de modelo, e sentir-se feio diante dos padrões vigentes  de beleza, não é motivo para ele perder a auto-estima. A felicidade não se compra nem é um troféu que se ganha vencendo a concorrência. Tece-se de valores e virtudes e desenha, em nossa existência, um sentido pelo qual vale a pena viver e morrer.

Ensina a teu filho que o Brasil possui dimensões continentais e as mais férteis terras do planeta. Não se justifica, pois, tanta terra sem gente e tanta gente sem terra.

Assim como a liberdade dos escravos tardou, mas chegou, a reforma agraria haverá de se implantar. Tomara que regada com muito pouco sangue.

Frei Betto & MSTSaiba o teu filho que os sem-terra que ocupam áreas ociosas e prédios públicos são, hoje, chamados de “bandidos”, como outrora a pecha caiu sobre Gandhi sentado nos trilhos das ferrovias inglesas e Luther King ocupando escolas vetadas aos negros.

Ensina a teus filhos que pioneiros e profetas, de Jesus a Tiradentes, de Francisco de Assis a Nelson Mandela, são, invariavelmente, tratados,  pela elite de seu tempo, como subversivos, malfeitores, visionários.

Ensina a teu filho que o Brasil é uma nação trabalhadora e criativa. Milhões de brasileiros levantam cedo todos os dias, comem aquém de suas necessidades e consomem a maior parcela de sua vida no trabalho, em troca de um salário que não lhes assegura sequer o acesso à casa própria.

No entanto, essa gente é incapaz de furtar um lápis do escritório, tijolo da obra, uma ferramenta da fabrica. Sente-se honrada por não descer ao ralo que nivela bandidos de colarinho branco com os pés-de-chinelo. É gente feita daquela matéria-prima dos lixeiros de Vitoria que entregaram a policia sacolas recheadas de dinheiro que assaltantes de banco haviam escondido numa caçamba.

Ensina a teu filho a evitar a via preferencial dessa sociedade capitalista que nos tenta incutir que ser consumidor é mais importante que ser cidadão; incensa quem esbanja fortuna e realça mais a estética que a Ética.

Saiba o teu filho que o Brasil é a terra de índios que não se curvaram ao jugo português e de Zumbi, de Angelim e frei Caneca, de madre Joana Angélica a Anita Garibaldi, Dom Helder Câmara e Chico Mendes.

Ensina a teu filho que ele não precisa concordar com a desordem estabelecida e que será feliz se se unir aqueles que lutam por transformações sociais que tornem este país livre e justo. Então, ele transmitirá a teu neto o legado da tua sabedoria.

Ensina teu filho a votar com consciência e jamais ter nojo de política, pois quem age assim é governado por quem não tem e, se a maioria tiver a mesma reação, será o fim da democracia.

Que o teu voto e o dele sejam em prol da justiça social e dos direitos dos brasileiros, imerecidamente tão pobres e excluídos, por razões políticas, dos dons da vida.”

* Frei Betto é escritor, autor de “Calendário do Poder” (Rocco), entre outros livro

7 Comentários

  1. Re disse:

    Só quem conhece o Brasil real pode escrever esse texto. Eu queria muito transmitir tudo isso para o meu filho, que é da geração que não gosta de política. Aos poucos ele vai entendendo, está começando a entender. Frei Betto tem razão, não podemos descuidar de transmitir o que somos para a geração que botamos no mundo.

  2. Carmem porto disse:

    Há muito tempo não lia nada tão emocionante sobre o que considero a parte mais importante da relação pai e mãe/filho e filha: o ensinamento sobre a honra, sobre o respeito, sobre a ética, sobre os limites para as ações de qualquer pessoa, sobre a ligação de uma pessoa com seus semelhantes, sobre a defesa firme da nação da qual faz parte. Isto é a boa educação para a vida que produz para o futuro homens e mulheres decentes. Dormirei melhor hoje.

  3. Maria Helena Biscaia disse:

    Que texto maravilhoso. Se todos os brasileiros pudessem ter acesso a tudo isso que o nosso brilhante frei nos ensina e pudessem ensinar a seus filhos, o Brasil seria bem melhor.

  4. Este texto deveria ser lido por todos os brasileiros e por todas as brasileiras que ainda têm esperança.

  5. C.Poivre disse:

    Até assistência espiritual foi negada ao Reitor martirizado por agentes da ditadura midiático-judicial instalada no país:

    https://www.revistaforum.com.br/2017/10/08/padres-denunciam-que-pf-negou-direito-espiritual-ex-reitor-da-ufsc/

  6. Antônio José - Vermelho disse:

    Caramba, Marcelo, que texto incrível! Isso é uma oração do nosso frei Beto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *