Lista tríplice no DPF: faca de dois gumes a ameaçar a Lava Jato
24 de maio de 2016
Justiça retira matérias do blog e proíbe falar do DPF Moscardi
26 de maio de 2016

Ao tentar censurar Nassif, delegado confessa viés político da Lava Jato

Marcelo Auler

DPF Igor Romário:  "Lava Jato se tornou algoz do governo e do Partido dos Trabalhadores"

DPF Igor Romário: “Lava Jato se tornou algoz do governo e do Partido dos Trabalhadores”

Não foi ato falho, daqueles que se comete no meio de um debate, entrevista ou discussão. Afinal, está no papel apresentado em juízo. Ao impetrar uma ação de indenização contra o jornalista Luis Nassif, do JornalGGN, o delegado Igor Romário de Paulo, Delegado Regional de Combate ao Crime Organizado (DCOR) da Superintendência da Polícia Federal do Paraná (SR/DPF/PR) acaba admitindo aquilo que todos falam mas que os membros da Força Tarefa da Operação Lava Jato negam: o viés político da mesma.

Segundo ele, as críticas que sofreu de Nassif no artigo que o JornalGGN publicou em 2 de fevereiro  – Com excesso de poder, a Lava Jato pode ter virado o fio – tem como justificativa o fato de a Lava Jato ter sido algoz ao governo e ao Partido dos Trabalhadores. O texto contido na inicial da ação impetrada no 6º Juizado Especial Cível do Paraná diz;

A atitude do Réu é indecorosa e imoral por querer imputar condutas criminosas ao Autor apenas pelo fato desse ser um Delegado da Operação Lava Jato, Operação que se mostrou algoz ao governo e ao Partido dos Trabalhadores, exatamente o partido que o Réu defende“.

A matéria da qual o delegado Igor decidiu reclamar é justamente uma análise política de Nassif sobre a chamada Operação Triple X. Nela, ele defende:

Na ação contra Luis Nassif, o delegado Igor de Paulo não conseguiu retirar a reportagem do JornalGGN.

Na ação contra Luis Nassif, o delegado Igor de Paulo não conseguiu retirar a reportagem do JornalGGN.

“Se havia alguma dúvida sobre o caráter politico da Lava Jato, a Operação Triple X desfaz qualquer dúvida, especialmente após as explicações dadas pelo Instituto Lula. É possível que, com os últimos exageros, a Lava Jato esteja virando o fio.

Lá, se mostra que as tais informações novas, que justificaram a autorização do juiz Sérgio Moro para deflagrar a operação, constam pelo menos desde agosto do ano passado na ação do Ministério Público Estadual (MPE) paulista sobre a Bancoop. Não havia novidade. Foram reavivadas pelos procuradores e pelo juiz Sérgio Moro apenas para criar um fato político na véspera da abertura dos trabalhos legislativos”.

Como o pedido de censura feito pelo delegado não foi atendido, ainda é possível ler o artigo de Nassif.

Se já não existiam dúvidas antes, agora é que a tese do viés político das operações se confirmou na voz de um dos seus coordenadores. Afinal, ele reconhece, a Lava Jato, “se mostrou algoz ao governo e ao Partido dos Trabalhadores”. Tudo o que se diz que este é o objetivo maior dela.

16 Comentários

  1. […] Esta censura permanece até hoje, completando neste domingo (03/07) 54 dias. Já o delegado Igor Romário de Paulo ingressou com ação contra o jornalista Luís Nassif, mas não obteve a liminar censurando o Jornal GGN como queria – Ao tentar censurar Nassif, delegado confessa viés político da Lava Jato. […]

  2. Roberto Robson disse:

    Esse site é puro jornalismo marron, irresponsável. Jornalismo de escândalo inventado desde que seja contra o adversário. É uma vergonha a degenerescência da esquerda lulista. Sem o mínimo de ética. Até quando esse blog sobreviverá sem os recursos do Estado que por certo foram cortados?

  3. Ruy disse:

    Para mim, é uma autoconfissão do viés monopolítico e monomaníaco da operação. Ora, quem se torna algoz são os fatos, não a operação personalizada nos seus delegados e na da força tarefa. Muita bandeira desse grupo de Curitiba, que se acha acima da lei e que conta com a benevolência de tribunais superiores que querem se ver livre do voto popular.

  4. Alfredo disse:

    Confessou, nada. Que coisa! Vcs estão distorcendo as falas igual a imprensa golpista faz? Isso não ajuda em nada.

  5. […] reportagem de Marcelo Auler, ao impetrar uma ação de indenização contra o jornalista Luis Nassif, o delegado coloca na […]

  6. Luiz Carlos P. Oliveira disse:

    Olhem o que a Folha on line trás em 05/07/2006 (dez anos atrás)

    http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u80117.shtml

    Isso confirma que a Lava Jato tem viés político ou não?

  7. vera santos disse:

    Vamos continuar denunciando e resistindo

  8. Marcelo J. N. disse:

    Qual a moral que esse delegadinho tem para entrar com uma ação e dizer que o Nassif é petista se ele mesmo, sendo um servidor público sujeito a um codigo de ética e um ordenamento jurídico que prega a imparcialidade, teve uma matéria na revista veja, com o título “os delegados aecistas”, que publicou postagens dele e da delegada Erika Mialik, e Márcio Anselmo, e Maurício Moscardi no facebook, difamando a Presidente Dilma e exaltando Aécio Neves na véspera das eleições????
    Esse sujeito se vale ardilosamente do Judiciário, tal como faz na condução dessa operação, para esconder fatos ilícitos que cometeu. Frise-se que a veja não publicou uma opinião sobre a pessoa dos delegados aecistas, ela publicou o que eles publicaram na rede social contra a Presidente da República e a favor do candidato do psdb Aécio Neves.
    O google já retirou o link da revista veja que mencionamos da internet, porque os tais delegados moveram uma ação igual a que você está sofrendo para este fim.
    Eles fazem merda e depois não querem que ninguém veja ou processa quem viu, porque se julgam acima do bem e do mal.
    Mas é possível ainda visualizar a capa da veja dos aecistas quando se digita o tema no google e, quando vem o resultado, se clica nas imagens.
    Nunca se viu na história servidores públicos desse nível tão baixo!
    O grande erro da Dilma foi não demitir tais servidores e não tirar da função esse diretor geral que nada fez para punir seus excessos.

  9. João de Paiva disse:

    O que esses delegados de ….. se esquecem é que,uma vez publicadas, essas reportagens SEMPRE voltarão à rede mundial de computadores. Eu, por exemplo, arquivo quase todas elas. Se censurarem os blogs, os leitores hão de republicá-las em outras páginas da internet. Agora as 20 digitais, das quatro patas, dos delegados da da força-tarefa da Lava a Jato estão imersas na lama da perseguição política e do instrumento para a derrubada do governo trabalhista que é essa operação, orquestrada pelo alto comando dos EUA, a partir das espionagens feitas pela NSA em 2013, tanto na Petrobrás, como no governo brasileiro.

  10. frederico costa barros disse:

    Ditadura da PF, do MP, do Moro,do STF, igual ao que está ocorrendo em São Paulo e ao que querem implantar no Brasil.
    Só o que eles pensam é admitido qualquer opinião contrária é uma ofensa a pessoa, isso é característico do autoritarismo(facismo) que se está implantando nesse país.

  11. […] Fonte: Ao tentar censurar Nassif, delegado confessa viés político da Lava Jato | Marcelo Auler […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *